27º Grito dos Excluídos exige “Fora Bolsonaro” e defende a democracia em mais de 200 cidades brasileiras

27º Grito dos Excluídos exige “Fora Bolsonaro” e defende a democracia em mais de 200 cidades brasileiras

Neste 7 de setembro, o tradicional Grito dos Excluídos e das Excluídas chegou a sua 27ª Edição. Com o mote “vidas em primeiro lugar”, os atos se consolidaram em grandes manifestações contra o governo genocida, corrupto e negacionista de Jair Bolsonaro. O Grito dos Excluídos e das Excluídas é uma das manifestações mais tradicionais do movimento social brasileiro, acontecendo anualmente no 7 de Setembro, desde 1995, em contraponto ao discurso oficial do feriado da Independência.

Durante o dia de ontem (7), cerca de 300 mil pessoas protestaram em mais de 200 municípios em território nacional e estrangeiro, de acordo com dados oficiais da Campanha Nacional “Fora Bolsonaro”. A campanha reúne mais de 80 entidades que convocam manifestações desde maio deste ano. A CTB participa da campanha, fortalecendo a luta pelo impeachment do presidente genocida.

“O Brasil foi mais uma vez às ruas nesse 7 de setembro pedir o Fora Bolsonaro. O Grito dos Excluídos desse ano reuniu milhares nas ruas em todo o país para reivindicar mais direitos, mais democracia, comida no prato por causa do fome que milhões de brasileiros passam neste momento.  O Brasil também foi às ruas pedir vacina no braço. Nunca antes na história do Brasil tantos trabalhadores e trabalhadoras morreram em tão pouco tempo. Por causa de Bolsonaro e seu governo, o Brasil já registra quase 600 mil mortes. Foi acertado ir às ruas nessa data. Reafirmar nosso compromisso com o desenvolvimento sustentável, para que o Brasil volte a ter uma política de empregos, da retomada da indústria, sem destruir o meio ambiente. Foi importante estar nas ruas para mais uma vez reiterar nossa convicção que a inclusão que tanto almejamos na divisão das riquezas só será possível quando o país atingir um outro patamar civilizatório. Derrotar Bolsonaro é um passo. Derrotar o projeto em curso e construir maioria para revogar o entulho legislativo pós golpe e as bases para um novo amanhã.” – afirmou Paulo Sérgio Farias, presidente da CTB-RJ

Além dos protestos, em muitas cidades aconteceram s ações de solidariedade, com arrecadação e doação de toneladas de alimentos à população mais atingida pela fome. Um marco de todas as manifestações foi a defesa da democracia e o total repúdio às ameaças golpistas de Bolsonaro, que vem pregando intervenção militar contra os poderes Judiciário e Legislativo. 

No Rio de Janeiro (RJ), o ato reuniu mais de 30 mil pessoas no centro da cidade, segundo estimativa das Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Na avaliação dos organizadores, trata-se do maior número de participantes da história do Grito dos Excluídos e das Excluídas carioca.

Grito dos Excluídos – Petrópolis

Outros municípios fluminenses também registraram manifestações. Em Petrópolis os manifestantes se reuniram às 11h na Praça da Liberdade com cartazes e bandeiras em defesa da democracia, do impeachment de Jair Bolsonaro, de vacina para todos e contra a fome e a carestia.

Grito dos Excluídos – Macaé

Na cidade de Macaé, no Norte Fluminense, o ato também se concentrou pela manhã, reunindo representantes de movimentos sindicais, estudantis e partidos políticos do campo progressista. As pautas, tal qual em outros municípios, focavam no impeachment de Jair Bolsonaro e na defesa da democracia.

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *