Acidente de Trabalho tira vida de 2 metalúrgicos do Estaleiro Renave

Acidente de Trabalho tira vida de 2 metalúrgicos do Estaleiro Renave

Dois trabalhadores metalúrgicos morreram nesta segunda-feira (26) após uma embarcação afundar no Barreto, próximo à Ilha da Conceição, em Niterói. Segundo o Portal G1, os trabalhadores foram identificados como Nilo de Paula, de 68 anos e José Henrique da Silva, de 45. O falecimento dos trabalhadores ocorre na semana em que o mundo volta os olhos para a prevenção dos acidentes de trabalho e com a saúde dos trabalhadores, tendo ocorrido na véspera do Dia Internacional de Prevenção aos Acidentes de Trabalho.

Um parente de uma das vítimas em entrevista a um telejornal cobrou informações do estaleiro Renave. Afirmou que a empresa comunicou sobre o acidente mas não disse as circunstâncias nem se as vítimas usavam os equipamentos de proteção individual necessários.

De acordo com Edson Rocha, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Niterói e região, em entrevista ao site Plantão Em Foco, o acidente teria sido causado por uma falta de manutenção, que já teria sido denunciada pelos próprios funcionários da unidade.

“O que temos de informação é que os dois funcionários estavam realizando uma manutenção do dique flutuante e o equipamento acabou afundando, ainda sem motivação informada. Caso uma embarcação tivesse em cima do dique, a tragédia seria bem maior com um número maior de vítimas”, disse o presidente.

A CTB Rio de Janeiro manifesta sua solidariedade às vítimas, amigos e familiares e chama atenção para a situação do Estaleiro Renave, que não é de hoje que convive com acidentes fatias que vitimam trabalhadores e trabalhadoras.

“A CTB manifesta solidariedade aos companheiros e seus familiares. O Renave sempre foi assim. A gente luta há muito tempo mas ainda não conseguiu barrar esses acidentes fatais. Teve uma época que o apelido do Renave era um açougue, de tanta mortandade” – comentou o metalúrgico e dirigente da CTB-RJ, Maurício Santos.

A Secretária de Saúde e Segurança no Trabalho da CTB Rio de Janeiro, Daniele Moretti, comentou o caso com exclusividade para o Portal CTB-RJ:

“Esse acidente fatal no Estaleiro Renave é mais um exemplo da importância de se ter dentro de qualquer empresa de trabalho uma cultura rígida de segurança e saúde do trabalhador. Dois trabalhadores que se encontravam dentro de um dique flutuante que afundou vieram a óbito. Como não foram divulgados pelo Estaleiro as circunstâncias do acidente e o motivo dos trabalhadores estarem no local, ficam algumas dúvidas/perguntas: Quais eram as funções dos trabalhadores naquele local?, Quais eram as medidas de segurança adotadas pelo estaleiro?, Eram utilizados EPC’s (Equipamento de proteção coletiva)?, Os trabalhadores estavam utilizando os IPI’s (Equipamento de proteção individual)? O Estaleiro possuía algum tipo de medidas de emergências em caso de acidente?, O acidente já foi reconhecido como acidente de trabalho?. São questões que agora que o Estaleiro Renave deverá responder as autoridades competentes. Diante do exposto fica claro tamanha importância de se seguir as medidas de segurança obrigatórias pela nossa legislação (CLT, NR’s, NBR’s e convenções ou acordos coletivas de trabalho), também o comprometimento das empresas e trabalhadores com a cultura de segurança e saúde.” – afirmou a dirigente cetebista.

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *