ARTIGO – KATIA BRANCO: REFORMA TRABALHISTA ATACA MULHERES TRABALHADORAS

ARTIGO – KATIA BRANCO: REFORMA TRABALHISTA ATACA MULHERES TRABALHADORAS

O Governo Golpista e Machista de Michel Temer não ataca as mulheres apenas com a nefasta Reforma da Previdência. A proposta de Reforma Trabalhista tambem faz parte do conjunto de medidas que o atual governo golpista de Michel Temer quer impor à população e que penaliza a todas nós, mulheres trabalhadoras.

Sob o falso pretexto da “modernização”, os golpistas apresentam uma agenda de destruição de direitos e tentam “flexibilizar” as Leis Trabalhistas para que o Brasil supostamente acompanhe o desenvolvimento globa num projeto de desmonte da a legislação que protege o trabalhor. Essa medida, que prejudica toda a classe trabalhadora, é ainda mais dura com as mulheres.

Nós somos maioria nos postos de trabalho mais precários e recebemos um salário menor em relação aos homens que realizam as mesmas tarefas. Também somos exploradas duplamente todos os dias: quando trabalhamos por um salário de miséria e, de novo, quando limpamos, cozinhamos, lavamos, cuidamos dos filhos sem que o Estado, nem os patrões gastem 1 real. Essa reforma aumentará ainda mais o abismo social entre homens e mulheres e nós não podemos permitir isso.

O principal ataque que a classe trabalhadora vai sofrer diz respeito ao predomínio de convenções e acordos coletivos, em detrimento do que a Lei estabelece, o que coloca em risco direitos conquistados com muita luta como nosso décimo terceiro, nossas férias e até mesmo nossa licença-maternidade. A proposta também quer ampliar a Jornada de Trabalho para até 220 horas mensais, o que para nós, terá um impacto ainda mais profundo por conta da nossa dupla jornada de trabalho.

O governo também quer dar aos patrões o direito de parcelar nossas férias em até 3 vezes, a ampliação do trabalho temporário e do trabalho em regime parcial. Medidas estas que só servem ao interesse dos patrões, transformando a classe trabalhadora brasileira em mão de obra barata para o empresariado.
Nós, mulheres trabalhadoras classistas, não podemos aceitar essa reforma! Temos que nos unir e barrar essa reforma trabalhista!

Não à retirada de dirietos das mulheres trabalhadoras!

Direitos trabalhistas ficam, Temer sai!

Katia Branco
Secretária da Mulher Trabalhadora da CTB-RJ

Leia também...

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancelar comentário