ARTIGO – MÁRCIO AYER: OS RISCOS DA TERCEIRIZAÇÃO PARA SUA VIDA

ARTIGO – MÁRCIO AYER: OS RISCOS DA TERCEIRIZAÇÃO PARA SUA VIDA

Enquanto a mídia e a PF distraem o respeitável público com o circo da carne com papelão, os patrões comemoram a aprovação da lei que libera geral a terceirização, ontem (22/3) em Brasília. É mais um duro efeito do Golpe de Temer contra os direitos da classe trabalhadora.

Até então a lei permitia a terceirização apenas fora da atividade principal da empresa. Uma loja de roupas, por exemplo, podia terceirizar o transporte de mercadorias, a segurança e a limpeza das lojas. Mas não podia subcontratar profissionais de outras empresas para atuar como vendedores, pois a venda de produtos é justamente a atividade principal de uma loja.

Agora, amigos e amigas comerciários, o patrão vai poder contratar alguém pra ficar no teu lugar pagando salário menor e nenhum benefício. Pode até te demitir para te contratar de novo no dia seguinte, como terceirizado, pagando a metade do salário pelo mesmo serviço que você sempre fez. Vou até parar por aqui pra não ficar dando ideia, mas é bom ficar logo ligado em todos os riscos que a terceirização representa, porque ela tem o potencial de escravizar, mutilar e matar o trabalhador!

Por quê escraviza? – Os empresários dizem que a terceirização aumenta a produtividade e reduz custos, mas não dizem que a melhora é só pra eles. O salário dos terceirizados é em média 24% menor do que o dos empregados formais, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Outro problema é o aumento do desemprego. Os terceirizados trabalham em média três horas a mais por semana que os contratados. Com mais gente trabalhando mais horas, vai cair o número de vagas em todos os setores. Se fosse ao contrário e os terceirizados passassem a trabalhar menos horas, seriam criadas 800 mil novos postos de emprego, também segundo o Dieese.

As negociações por aumento de salários e outros benefícios também devem ficar mais difíceis. Terceirizados que trabalham num mesmo local têm patrões e sindicatos diferentes. Isso afeta a capacidade de pressão, pois, isolados, esses trabalhadores terão maior dificuldade para fazer paralisações, greves e outras manifestações. Também será muito mais difícil enquadrar patrões que desrespeitam direitos, porque a relação entre a empresa principal e o funcionário terceirizado é mais distante e difícil de ser comprovada. Sem falar nos patrões que usam a terceirização para esconder fraudes trabalhistas.

Por quê mutila e mata? – Os terceirizados são os empregados que mais sofrem acidentes. A segurança fica comprometida porque as empresas de menor porte não têm as mesmas condições tecnológicas e econômicas para oferecer treinamento adequado, fornecer equipamentos de segurança e investir em processos para redução dos riscos e acidentes de trabalho. Na Petrobras, por exemplo, mais de 80% dos trabalhadores mortos e acidentados em serviço é de terceirizados. Com mais gente se acidentando, aumenta também a sobrecarga sobre o SUS e o INSS.

Não aceitamos o liberou geral das terceirizações nem outras mudanças que o governo golpista de Temer quer fazer nas leis trabalhistas. O enredo é o mesmo em todas elas, tirar direitos dos trabalhadores para ajudar os amigos patrões. Terceirização não é modernidade. É precarização das relações de trabalho. Lute agora ou seja explorado para sempre!

Leia também...

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancelar comentário