ARTISTAS E MOVIMENTOS FAZEM ATO SHOW EM DEFESA DA UERJ

ARTISTAS E MOVIMENTOS FAZEM ATO SHOW EM DEFESA DA UERJ

Milhares de pessoas compareceram na noite desta terça-feira (14) na Conha Acústica da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) para o ato show “Viva UERJ”. Organizado fruto de parceria entre o Departamento de Cultura da Universidade e os movimentos sociais, a atividade reuniu artistas dos mais variados segmentos em defesa da educação pública, gratuita e de qualidade.

Leoni, Grupo Pé de Louro, Isabella Taviani, Teresa Cristina, Myllena, Paulão 7 Cordas e Ramon Araújo, Felipe Filósofo, Lucio Sanfilippo, André Grabois, André Jamaica, Clarice Magalhães, Dorina Barros, Eduardo Galloti, Elisa Addor, Ernesto Pires, Julieta Brandão, Marina Iris, Moysés Marques, Pedro Holanda, Pedro Miranda, Renata Jambeiro, Sidney Matos, Xandy Carvalho, Rita Benneditto, Katia Iunes, Luzia de Mendonça, Jesuton, Thaís Gulin, Coletivo Porangareté, APAFunk e MC Junior e Leonardo foram alguns nomes que confirmaram participação na atividade e declararam seu apoio à esse patrimônio do Rio de Janeiro.

A Universidade enfrenta uma forte crise com salários dos servidores e docentes atrasados, além do pagamento das bolsas de alunos que dependem do auxílio para dar continuidade nos estudos. Muitos artistas e defensores de uma universidade pública e de qualidade passam pelo palco. A Diretora de Universidades Públicas da UERJ, Natália Trindade alertou para o perigoso projeto que ataca a Universidade:

16716187_822036711287809_840483297651343429_o“A luta pela manutenção da UERJ é fundamental. Se a UERJ cair, será um dominó enfileirado e isso acontecerá também com as Universidades Federais. Já se discute relativizar o caráter público e gratuito nas Universidades com argumentos de que quem tem dinheiro deveria pagar para estudar na Universidade Pública. Esse debate não é feito à toa, eles querem falar que a universidade é cara, como já disse várias vezes o Presidente da ALERJ, Jorge Picciani. A UEE-RJ está à frente dessa luta de resistência para que a UERJ se mantenha e para que os governos federal e estadual entendam que a Universidade perpassa pelo projeto de desenvolvimento. Ela não é um gasto, é um investimento em profissionais qualificados, de uma ciência própria que a Universidade constrói e que vai devolver isso para a sociedade e para o mercado de trabalho. O governo precisa entender que a Universidade é importante porque o desenvolvimento do Estado e do País depende de conhecimentos específicos que são construídos dentro da Universidade. Quando a gente tá em defesa da UERJ está defendendo, na verdade, todas as Universidades Públicas do País.”

Durante as apresentações foram recolhidos materiais de uso hospitalar para ser doados às unidades do HUPE, Policlínica Piquet Carneiro e Posto de Enfermagem em Vila Dois Rios, Ilha Grande, que se encontram em dificuldades de funcionamento.

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *