ATO SINDICAL UNITÁRIO RELEMBRA REPRESSÃO AOS TRABALHADORES DURANTE DITADURA MILITAR

ATO SINDICAL UNITÁRIO RELEMBRA REPRESSÃO AOS TRABALHADORES DURANTE DITADURA MILITAR

O Rio de Janeiro recebeu, na manhã desta quinta-feira (28/08), uma edição do Ato Sindical Unitário para relembrar a repressão sofrida pelos trabalhadores durante o regime ditatorial. O evento foi uma realização do Grupo de Trabalho “Ditadura e Repressão aos Trabalhadores e ao Movimento Sindical”, da Comissão Nacional da Verdade, em conjunto com a Comissão Estadual da Verdade do Rio (CEV-Rio) e lotou as dependências da Central Única dos Trabalhadores (CUT-Rio) onde foi realizado.

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – Rio de Janeiro (CTB-RJ) foi representada pelo seu dirigente Luiz Bruno que afirmou que se sente “honrado em representar a CTB nessa árdua jornada em busca da verdade e da justiça”. Os Atos Sindicais Unitários têm sido organizados em diferentes regiões do Brasil, com a participação de representantes de todas as centrais sindicais, com o objetivo de dar voz aos integrantes de organizações trabalhistas perseguidas e seus familiares.

Durante a mesa de abertura, que contou com representantes de todas as centrais sindicais e de membros da comissão da verdade nacional e estadual, a coordenadora do GT, Rosa Cardoso, afirmou que “é preciso deixar claro que os trabalhadores brasileiros foram torturados, presos em condições desumanas e que a nossa luta é para esclarecer e buscar justiça para esses casos.”

O coordenador da Comissão Estadual da Verdade do Rio de Janeiro, Geraldo Cândido, lembrou que a atividade acontecia numa data muito significativa: o dia em que se completam 35 anos da lei de anistia que na visão de Geraldo foi uma lei “que não nos satisfez completamente”. Geraldo também afirmou que os trabalhadores foram vítimas da repressão e que os sindicatos foram os primeiros alvos da ditadura porque “eram a base de sustentação do governo Jango em defesa das reformas de base”.

Ao fim da mesa de abertura, o ato contou com os testemunhos de trabalhadores de categorias atingidas durante a ditadura militar no estado do Rio de Janeiro: Vagner Barcelos (metalúrgico da Companhia Siderúrgica Nacional – CSN); José Werneck (ferroviário); João Baptista Quincas Filho, o Tuca (portuário); Francisco Soriano (petroleiro); Mario Macaco (Correios); Nilton Domingues Pedrosa (gráfico); Nilson Carneiro (metalúrgico da Fábrica Nacional de Motores – FNM) e Ronald Barata (bancário).

Para saber mais das atividades da comissão da verdade, acesse o site www.cnv.gov.br.

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *