BETIM (MG): SINDICALISMO CLASSISTA NOVAMENTE ENFRENTA PRÀTICAS DO BANDITISMO SINDICAL EM ELEIÇÃO

BETIM (MG): SINDICALISMO CLASSISTA NOVAMENTE ENFRENTA PRÀTICAS DO BANDITISMO SINDICAL EM ELEIÇÃO

 

Mais uma vez, a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) enfrenta práticas do banditismo sindical em um processo que deveria ser marcado pela democracia. A cidade, dessa vez, é de Betim e a categoria, os Metalúrgicos.

“O retrato da batalha política sindical verificada em Betim é lamentavelmente uma vergonha. Impor uma guerra de força e jurídica para disputar na “tora” uma entidade sindical, no mínimo sugere uma visão aparelhista e deteriorada da luta sindical. Como pode uma central Sindical de trabalhadores mobilizar centenas de bate paus para querer tomar das mãos dos trabalhadores uma histórica entidade sindical (Sindicato dos Metalúrgicos de Betim) na porrada. Os métodos facistas aqui patrocinados revelam destempero, desequilíbrio e uma equivocada orientação por parte de um dirigente terceirizado que se diz está agindo em nome da CNM e da CUT” – Criticou o Presidente da CTB RJ, Ronaldo Leite.

A eleição do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim está marcada para começar hoje (1), porém, um grupo ligado à CMN e à CUT, deixa claro que não tem intenção em deixar o processo democrático acontecer. As polêmicas, no entanto, já começaram há tempos.

 

Presidente da chapa de oposição quer arrancar R$ 600 mil do Sindicato

 

O Sindicato dos Metalúrgicos de Betim, filiado à CTB, é uma das entidades mais ativas do movimento social do Estado de Minas Gerais. Firme na luta em defesa dos trabalhadores, é uma entidade que vem crescendo cada vez mais e sendo reconhecida na base. Tal fato fez crescer o olho das más práticas do Movimento Sindical que a CTB já tem tradição em combater.

Dessa vez, no entanto, às práticas nefastas parecem superar todos os limites. O candidato que, ao mesmo tempo em que concorre à presidência do sindicato pela oposição, foi à Justiça para tirar dinheiro deste mesmo sindicato. Gleyson Borges Ferreira, candidato a presidente da chapa de oposição (CUT/CNM) processa o sindicato em um total aproximado de R$ 600 mil – valor cujo credor será ele mesmo, caso seja eleito.

“É algo inédito no mundo sindical!”, disse o Secretário de Previdência da CTB, Pascoal Carneiro. “Ele já é diretor do sindicato há três mandatos, e agora quer pedir equiparação salarial com os funcionários. Ele rompeu logo depois da última posse com a diretoria e começou a fazer oposição interna, até o ponto de ser suspenso durante uma reunião”, contou. Logo Ferreira foi reintegrado na organização, mas entrou com outro processo, por danos morais. Isso acirrou ainda mais os ânimos.

O valor das ações, em conjunto, chega a R$ 600 mil pelo aspecto retroativo do pedido. Ferreira pede a equiparação de seu salário com a remuneração dos funcionários do sindicato desde seu primeiro mandato, em 2005, além da compensação por férias, FGTS e o pagamento de horas extras por trabalhar em panfletagem e assembleias, entre outros benefícios. Há também o pedido de indenização por danos morais. Os processos podem ser acompanhados pelo site da Justiça do Trabalho pelos números 0012159-97.2014.5.03.0026 e 0010290-62.2015.5.03.0027.

 

Ameaças, violência e truculência: as marcas de uma oposição irresponsável

 

A disputa eleitoral em Betim tem trazido à tona o pior lado de uma cultura que a CTB combate no movimento sindical. Em passado não tão distante, aqui no Rio de Janeiro, enfrentamos toda a truculência e violência de uma máfia para devolver aos comerciários, sua entidade representativa. Em Betim, essas práticas vergonhosas mais uma vez aparecem, só que agora por parte de um grupo ligados à CUT.

Após uma série de ações deploráveis por parte da chapa de oposição, que vão desde mentiras à ameaças, o de tensão é crescente entre o grupo atualmente no comando, da “Garra Metalúrgica”, apoiada pela CTB, e a chapa de oposição criada pelo Central Única dos Trabalhadores (CUT).

“A CUT montou esse grupo e trouxe pra cá pessoas de fora, de outros estados, inclusive alguns que são conhecidos como ‘seguranças’. Esses ‘seguranças’ já ameaçaram muitos companheiros nossos. Eles foram até a casa do tesouro do Sindicato no sábado, Edgar Lopes, ameaçá-lo na própria casa!”, contou o secretário de Previdência da CTB, Pascoal Carneiro. “Em outra ocasião, eles fecharam com o carro um companheiro da nossa chapa e tentaram agredí-lo no meio da rua. Ele se trancou no carro e conseguiu escapar, mas só porque ele conhece bem a cidade. Teve que despistá-los”, continuou.

O Presidente da FITMETAL e dirigente da CTB, Marcelino Rocha, foi seriamente ameaçado. Relatos de companheiros apontam para disparos de tiros e tentativa de invasão de espaços onde a chapa Garra Metalúrgica fazia suas atividades. Dirigentes da CTB-RJ, entre eles nosso Presidente Ronaldo Leite e o Secretário de Finanças Mario Porto, encontram-se em Betim, auxiliando os companheiros da Garra Metalúrgica. Leite, fez duas críticas à ação da chapa ligada à CUT/CMN:

“O que se viu aqui nesta manhã, mais 300 malandros tentando invadir o sindicato, depõem contrário ao campo democrático e popular. Se nós, que somos forças aliados da luta pela retomada do estado democrático de direito somos tratados desta forma, como conseguiremos barrar a ofensiva neoliberal e os ataques destilados a nossa tão sofrida classe trabalhadora? “

Hoje, um grupo de brutamontes contratados pela chapa cutista tenta impedir a abertura das urnas. A CTB-RJ repudia com veemencia as práticas desenvolvidas pelo grupo cutista e reafirma que estará sempre na luta contra esse tipo de ação e por um movimento sindical democrático, plural, inclusivo e classista.

 

Tradição classista

 

A histórica chapa “Garra Metalúrgica” participa das eleições do Sindicato dos Metalúrgicos de Betim desde 1987, quando se reinstalou ali uma das mais tradicionais agremiações sindicais do Brasil. Ela tem um histórico amplo entre os metalúrgicos locais, tendo sido fundamental no combate à ditadura. Em 2017, defende mais uma vez a linha do sindicalismo classista e aguerrido.

Sendo um sindicato fundador da CTB, o sindicato é de fundamental importância para a defesa dos interesses dos trabalhadores na região. A CTB auxilia no processo eleitoral através da representação do presidente da CTB-Minas, Marcelino Rocha, e do Secretário Nacional de Previdência, Pascoal Carneiro.

1 comment

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *

1 Comment