CENTRAIS SINDICAIS E MOVIMENTOS SOCIAIS FAZEM GRANDE ATO CONTRA PL 4330

CENTRAIS SINDICAIS E MOVIMENTOS SOCIAIS FAZEM GRANDE ATO CONTRA PL 4330

Trabalhadores e Trabalhadoras tomaram as ruas do Estado do Rio de Janeiro em um grito contra o nefasto projeto das Terceirizações. Neste dia 15 de março, chamado pelas centrais sindicais e movimentos sociais de “Dia Nacional de Luta” a pauta que unificou os trabalhadores e as trabalhadoras foi o repúdio à aprovação do Projeto de Lei 4.330/2004, que propõe a regulamentação do sistema de terceirização no mercado de trabalho brasileiro.

Diversas atividades ocorreram durante o dia. Em frente à Refinaria Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, os petroleiros fizeram uma grande manifestação que culminou com a  interdição da pista, em protesto contra as terceirizações. Na Zona Norte da capital, a Rua Leopoldo Bulhões foi interditada parcialmente por trabalhadores dos Correios, que paralizaram as atividades do Centro de Tratamento de Encomendas de Benfica. Além de atacar o PL 4330, os trabalhadores liderados pelo Sintect-RJ, entidade filiada à CTB, exigiam melhores condições de trabalho, realização de concurso público e a revisão do desconto do Instituto de Seguridade Social dos Correios e Telégrafos (Postalis). Ainda pela manhã, técnicos administrativos da UFRJ, liderados pela CUT e pela CTB ocuparam as pistas da Linha Vermelha e os trabalhadores da Cedae, reuniram-se com os dirigentes do Sintsama-RJ em  diversas unidades da empresa para protestar contra a aprovação do PL 4330 e exigir mais concursos para a Companhia.

No fim da tarde, na Praça da Cinelândia, no centro do Rio, representantes das centrais sindicais e de diversos movimentos sociais se concentraram em um ato que partiu em marcha até a sede da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) onde ocorreu um enterro simbólico da carteira de trabalho. Na avaliação do Presidente da CTB-RJ, Ronaldo Leite, o ato foi importante porque paralisou diversas categorias e deixou claro que os trabalhadores são contra o PL das Terceirizações. Leite também destacou a importância a atividade e da unidade das centrais sindicais e movimentos sociais, afirmando que:

– A unidade das centrais sindicais e dos movimentos sociais é fundamental para impedir o PL 4330. A aprovação desse projeto é a extinção da CLT e por isso é necessário que pressionemos com forte mobilização nas ruas para impedir que o lobby dos empresários consiga retirar direitos dos trabalhadores.

Por fim, o cetebista conclamou todas as entidades e movimentos sociais presentes para construção de um grande ato unitário no 1° de maio, mantendo a mobilização dos trabalhadores para impedir a todo custo que a classe trabalhadora para o ônus da crise econômica e perca direitos duramente conquistados.

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *