Comerciários: Primeira semana de greve assusta patrões

Comerciários: Primeira semana de greve assusta patrões

Bonsucesso, Tijuca, Ipanema, Campo Grande, Centro e Irajá! Os primeiros dias da GREVE histórica dos comerciários foram marcados por paralisações em 6 bairros diferentes e, claro, pela surpresa dos patrões. Apesar da decisão da categoria de cruzar os braços, muitas empresas não acreditaram na força dos comerciários unidos ao Sindicato, mas levaram como resposta o prejuízo das lojas fechadas. Dentre as lojas que se mobilizaram para a primeira semana da greve estiveram: supermercados Campeão, integrante da Rede Unno, supermercados Guanabara, C&A, Silhueta Infantil e Marisa.

“Essa semana foi só um gostinho aos patrões do que está por vir, caso as negociações não andem. Já chegamos à 7ª rodada de negociação sem praticamente nenhum avanço. Então, o raciocínio é simples: se eles só atendem às reivindicações quando perdem dinheiro, vai ter loja fechada, vai ter greve. Os comerciários não vão aturar um reajuste que não seja digno, que não pague as contas no fim do mês. Se tudo aumentou, nosso salário precisa aumentar também. Semana que vem tem mais”, desafia Alexsandra Nogueira, presidenta interina do Sindicato.

O motivo da greve dos comerciários é a intransigência dos patrões que insistem com um reajuste abaixo da inflação. Além disso, querem inserir nas Convenções Coletivas de Trabalho itens da Reforma Trabalhista, que só tirou direitos dos trabalhadores. “Nossa luta não é só pelo reajuste, é também a falta de valorização que vivemos na pele todo dia no chão de loja. Então não adianta tentar empurrar redução do horário de almoço para meia-hora, criação da jornada de 12×36 com redução de salário e tantas outras maldades. Não vai passar”, afirma o presidente licenciado Márcio Ayer.

Próximas atividades – O Sindicato já começou a organizar as atividades da próxima semana, começando pelas lojas em que os comerciários estão mais mobilizados. Caso os trabalhadores da sua loja decidam cruzar os braços, converse com o Sindicato antes, para que todos os direitos sejam garantidos. Em caso de qualquer irregularidade ou retaliação escreva para: denuncia@secrj.org.br.

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *