Coronavírus: Cedae mantém serviços essenciais e Sintsama-RJ firme na defesa da saúde dos trabalhadores

Coronavírus: Cedae mantém serviços essenciais e Sintsama-RJ firme na defesa da saúde dos trabalhadores

Fornecimento de água e saneamento básico são serviços essenciais que não podem parar durante a pandemia. Mais do que isso, são serviços que ajudam a combater a proliferação do vírus dando garantia de água de qualidade para a população. Nesse sentido, em tempos de pandemia do novo coronavírus, os trabalhadores e trabalhadoras das empresas de saneamento estão redobrando cuidados para seguir atendendo a população sem que isso traga maiores problemas para a saúde da categoria.

Até o momento, sem casos registrados da doença em suas fileiras, o Sintsama-RJ tem tido papel de destaque na defesa da saúde dos trabalhadores e trabalhadoras da área de meio-ambiente e saneamento:

“O Sintsama-RJ não é só a CEDAE. Temos mais de 30 empresas de saneamento que fazem parte da base social do Sindicato. E várias empresas privadas estão adotando o mesmo sistema da CEDAE, um sistema desenvolvido junto com o Sintsama, que enviou ofício para as empresas, se reuniu com os donos e mantém diálogo permanente em defesa da categoria.” – afirmou Humberto Lemos, Presidente do Sintsama-RJ

Ameaçada de privatização pelo governo Witzel, a CEDAE, principal empresa do setor, funciona de acordo com o decreto do governador: com o comercial fechado, sem marcação e corte de água. Uma facilidade encontrada justamente pelo caráter estatal da empresa.

“Nós defendemos uma Cedae pública, estatal e indivisível. Ela consegue fazer tudo isso porque ela é pública.” – defende Humberto.

A empresa suspendeu as contas das tarifas sociais e de micro e pequenas empresas por 90 dias, alterou as escalas (de 12/36 para 24/72) e mandou para casa todos os trabalhadores com mais de 60 anos ou que apresentam doenças pré-existentes que os colocam em grupo de risco.

“A escala mudou por intermédio do Sintsama-RJ. Estamos fazendo um trabalho de prevenção junto com a empresa.” – esclareceu Humberto.

O Presidente da CTB-RJ, Paulo Sérgio Farias, reconheceu a importância da Cedae estatal, pública e indivisível e valoriza o papel que a empresa vem desempenhando nessa grave crise que passamos:

“A Cedae será fundamental nesse momento de combate a pandemia do coronavírus. A orientação das autoridades médicas de assepsia permanente, principalmente lavar as mãos, pressupõe que o abastecimento esteja regularmente sendo feito. Por isso é que e fundamental a empresa pública e principalmente estatal. A responsabilidade do estado deve ser total, não terceirizar controle privado sobre a saúde do povo. A CTB sempre se pautou pela defesa da Cedae pública, estatal e indivisível e o resultado da sua preservação nas mãos do estado a gente vê nessas horas agudas. Não é admissível o governador nesse momento querer colocar a privatização da Cedae na pauta política do estado. O que ele deve se preocupar é em salvar vidas. Privatizar a água significa condenar a morte as pessoas, pois quem não consegue pagar a conta vai morrer de sede.” – defende o Presidente da CTB-RJ.

1 Comente

Leia também...

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancelar comentário

1 Comente

  • Eirudis Lizis decSouza Moreth
    1 de abril de 2020 , 15:03

    Sou hipertenso e diabético tenho 59 anis e continuo trabalhando normalmente não fui liberado pela CEDAE para ficar em casa. Estou voltando de férias

    RESPOSTA