CTB faz homenagem à Trabalhadores que Lutaram e Lutam pelo Brasil

CTB faz homenagem à Trabalhadores que Lutaram e Lutam pelo Brasil

Terezinha arquivos 156

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, com o intuito de relembrar às novas gerações as atrocidades cometidas pela ditadura militar, promoveu uma homenagem, na última quarta-feira (14), aos trabalhadores e trabalhadoras vítimas do regime autoritário. Entre os homenageados estavam os metalúrgicos João Batista Lemos (que atualmente é Vice-Presidente da Federação Sindical Mundial) e o militante histórico do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro, o companheiro Severino.

 

O Presidente nacional da CTB, Adilson Araújo, transmitiu o sentimento da atividade em sua fala “de Ana Martins a Zezinho do Araguaia, a CTB presta esta homenagem aos trabalhadores e trabalhadoras que com sua abnegação propiciaram a chance de estarmos respirando liberdade por quase 30 anos”. A homenagem se estendeu a muitos sindicalistas mortos em combate, nos porões da ditadura ou assassinados por pistoleiros a mando de latifundiários. Também presente na atividade, o Presidente Estadual da CTB Rio de Janeiro, Ronaldo Leite, exaltou a importância desse resgate histórico ao dizer que é “muito importante que uma central classista como a CTB faça esse resgate histórico da memória dos camaradas que lutaram pela democracia no momento mais difícil para a Classe Trabalhadora ao longo da história.”

 

A mestre de cerimônia do ato, Renata Mielle, leu texto contando a história recente dessa resistência e a cantora Railídia Carvalho, acompanhada pelos músicos Paulo Godoy e Ed Encarnação, interpretou repertório intrinsecamente ligado ao momento de resistência porque trabalhadores, estudantes, intelectuais e artistas se uniram pelo projeto comum de restabelecer a ordem democrática no país. O Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro (Sindimetal-Rio), Alex Santos, que também marcou presença na atividade, reafirmou o papel dos sindicalistas na luta pela democracia: “o movimento sindical não se entregou e enfrentou a ditadura militar. Homenagear os camaradas que fizeram parte dessa luta é uma honra para nós que seguimos lutando hoje em defesa das reformas de base que nosso País tanto precisa.”.

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *