CTB RJ repudia retrocessos no combate ao trabalho escravo

CTB RJ repudia retrocessos no combate ao trabalho escravo

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – Rio de Janeiro manifesta, através da presente nota, seu repúdio diante de mais um retrocesso imposto pelo governo golpista de Michel Temer aos trabalhadores e às trabalhadoras do Brasil. O alvo, agora, é o combate ao trabalho escravo. Pela Portaria 1129/2017 fica modificado o conceito de trabalho escravo e os mecanismos de divulgação da lista suja. As medidas, na prática, dificultam o combate a essa prática nefasta e transportam o Brasil, que já havia sido enviado para o atraso de antes da CLT pela Reforma Trabalhista, para o atraso anterior à Lei Áurea de 1888.

Essa portaria, tal qual foi editada, acaba com a imagem de combate ao trabalho escravo conquistado nos últimos anos, durante a gestão dos governos democráticos e populares. Agora, com essa portaria, o governo golpista de Temer reverte a expectativa para a construção de uma sociedade justa, digna e engajada com o trabalho decente.

Em busca de salvação das denúncias de corrupção que ameaçam seu mandato ilegítimo, Temer dá as mãos a quem escraviza em busca de votos a seu favor. Não bastasse a não publicação da lista suja, a falta de recursos para as fiscalizações, a demissão do chefe da Divisão de Fiscalização para Erradicação do Trabalho Escravo (Detrae), agora o ministério edita uma portaria que afronta a legislação vigente e as convenções da OIT.

Nós da CTB RJ repudiamos a nota, exigimos sua revogação e chamamos o movimento social à luta e à fiscalização. Num momento em que os retrocessos são inúmeros e que até o combate ao trabalho escravo é atacado pelo governo, a pressão e fiscalização dos movimentos sociais são a única arma que temos para enfrentar os inimigos da classe trabalhadora.

Rio de Janeiro, 19 de Outubro de 2017

Paulo Sergio Farias
Presidente da CTB RJ

Leia também...

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancelar comentário