Educação mantém greve e faz passeata em Petrópolis

Educação mantém greve e faz passeata em Petrópolis

A Educação petropolitana segue firme na luta. Os profissionais da categoriadecidiram, nesta segunda-feira (13), manter a greve. Durante à tarde, eles fizeram passeata pelo Centro da cidade fazendo as reinvidicações e cobrando uma solução por parte da Prefeitura local. O poder público, ao invés de negociar com os manifestantes, emitiu declarações de que fará contratações temporárias que serão pagas com recursos do ponto dos grevistas, que terão seus pontos cortados desde o dia 31 de julho.

A greve ganhou grande adesão de toda categorai, segundo o  o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe) – Petrópolis, 80% dos profissionais que atuam nas 184 unidades da rede pública aderiram ao movimento. Os profissionais da educação, há 3 anos sem aumento, exigem reajuste de 14% nos salários, descongelamento dos triênios, carga horária de 30 horas para funcionários, um terço da carga horária dos professores para planejamento de aula e a convocação de concursados.

Prefeitura tenta barrar greve na justiça e manter trabalhadores sem aumento

O movimento começou na terça-feira (31) e é por tempo indeterminado, segundo os representantes da Educação. No dia 3, a Prefeitura fez um pedido à Justiça para que o movimento seja considerado ilegal. O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe) afirma que considera a ação “uma covardia”.

O Tribunal de Justiça (TJ) ainda não tem uma decisão sobre o caso. O processo está sob análise do presidente do TJ. Segundo o município, “houve violação na legislação, uma vez que ao menos 30% da rede deveriam ser mantidas em funcionamento”. A categoria rebate que, apesar de cerca de 80% da categoria estar em greve, nas unidades de educação infantil as crianças seguem sendo recebidas normalmente, só não acontecendo as aulas.

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *