EM MEIO A PERSEGUIÇÕES, SINDGUARDA-MACAÉ CONVOCA PARA ATO DIA 25

EM MEIO A PERSEGUIÇÕES, SINDGUARDA-MACAÉ CONVOCA PARA ATO DIA 25

O Sindicato dos Guardas Municipais de Macaé (SindGuarda – Macaé), desde que iniciou a greve de Julho do ano passado (movimento que durou mais de 40 dias) vem sofrendo uma série de ataques por parte da Prefeitura Municipal. Esses ataques, na visão de dirigentes da entidade, “têm por objetivo reprimir nossa liberdade sindical e impossibilitar a reação dos trabalhadores da guarda municipal contra as arbitrariedades do comando da guarda a serviço da gestão municipal e impedir que nos manifestemos em favor dos nossos direitos”.

O Sindicato mantém uma forte atuação na cidade em luta pela revisão do plano de cargos e salários (PCCV), que colocará fim a estrutura de castas resultado do atual PCCV e relata que, logo após a assembleia geral dos Guardas Municipais e Patrimoniais de Macaé ter votado a favor da greve, em julho de 2016, o comando e seus assessores chamaram a diretoria do SindGuarda na Sede da GM e tentaram coagir os últimos a desistirem do movimento.

Os dirigentes do Sindicato relatam que desde o início da greve, o movimento foi sendo sabotado pelo comando da Guarda e pelo poder público. No segundo dia de Greve, a direção do sindicato fora recebida pelo Prefeito para uma reunião, que acreditavam, na ocasião, ser para tentar um acordo. Contudo, a diretoria do SindGuarda teve que ser retirar, pois o Prefeito desrespeitou o movimento ao declarar que não reconhecia a greve e muito menos o SindGuarda como representante da categoria, num claro ataque ao direito de representação Sindical.

Quase cinco meses após a greve as perseguições continuam. Durante a greve muitos grevistas foram retirados de seus postos e departamentos originários e transferidos sem qualquer justificativa plausível. E após a greve a maioria não retornou. O capítulo mais recente nessa onda de retaliação aos grevistas atingiu a diretoria do Sindguarda; o Presidente e o Vice-presidente foram transferidos de seus departamentos.

A CTB-RJ repudia toda e qualquer vilação dos direitos sindicais e se coloca ao lado do SindGuarda na luta pelo seu reconhecimento pelo Poder Público, bem como na luta pelos direitos das categorias.

 

Sindicato convoca para ato em defesa dos Servidores Públicos

 

Mesmo em meio a essa onda de perseguições promovida pela administração municipal, o SindGuarda – Macaé segue firme na luta. A entidade divulgou uma convocação para um ato no próximo dia 25 (quarta-feira), em conjunto com o SEPE Macaé e o Movimento SOS Servidor, em repúdio ao descaso da gestão municipal para com o servidor público. Segundo a nota do Sindicato:

“Não podemos aceitar passivamente o silêncio do Prefeito em relação aos nossos direitos negligenciados e nos conformarmos com a cantilena de crise que serve somente aos propósitos da ideologia neoliberal que se impõe à Nação após o golpe do impeachment.”

A CTB-RJ apoia e convoca toda sua base de Macaé para estar presente no ato ao lado do SindGuarda e dos servidores do município.

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *