ENCONTRO COM SINDICATOS RURAIS MOSTRA FORÇA DA CTB-RJ NO CAMPO

ENCONTRO COM SINDICATOS RURAIS MOSTRA FORÇA DA CTB-RJ NO CAMPO

A CTB-RJ realizou uma grande atividade na manhã dessa terça-feira (18) na sede da FETAGRI (Federação dos Trabalhadores em Agricultura Familiar do Rio de Janeiro), em Niterói. Nessa atividade, mais de 15 Sindicatos de trabalhadores rurais se reuniram para debater as questões relativas à organização sindical no campo, a reforma da previdência e a luta pelo direito à terra.

Além das dezenas de lideranças rurais, estiveram presentes na atividade o dirigente da CONTAG-RJ, Ezaquiel Siqueira; o Presidente da CTB-RJ Ronaldo Leite e o presidente nacional da CTB Adilson Araújo. Leite abriu a atividade falando da importância do crescimento da CTB junto aos trabalhadores rurais e destacou o aumento da participação do segmento do último congresso até os dias atuais:

“No último congresso da CTB participaram cerca de 4 sindicatos de trabalhadores rurais. Nesse próximo congresso acreditamos que participarão pelo menos 15, o que reflete a centralidade da luta da CTB na questão dos trabalhadores rurais.”

Leite também falou das questões políticas, especialmente a Reforma da Previdência que atinge em cheio os trabalhadores rurais, e defendeu a mobilização da categoria para a Greve Geral do dia 28:

“Nós compreendemos que somente uma ofensiva dos trabalhadores em defesa dos seus direitos, como será o dia da greve geral, é que pode fazer com que nós possamos, efetivamente, não perder os nossos direitos.”

O dirigente da CTB João Batista Lemos aproveitou a atividade para lembrar do compromisso da central junto aos trabalhadores rurais. Batista falou sobre o processo de decisão das cores da CTB e de como o sindicalismo rural sempre foi importante para a central classista:

“Nossa bandeira tem uma listra verde para representar o campo. O vermelho significa o sangue da luta de muitos trabalhadores que foi derramado para garantir os direitos que nós temos hoje. E o amarelo, combinado com o verde, produz as cores do nosso Brasil.”

Anfitrião da atividade, o companheiro Ezaquiel Siqueira lembrou que, além da importante temática previdenciária, a importância da luta pelo direito à terra e outras bandeiras do dia a dia do sindicalismo rural. Nas palavras de Ezaquiel:

“Uma das maiores lutas dos trabalhadores rurais é a para barrar a venda de terras para o estrangeiro. Antigamente as empresas podiam apenas vender um pedaço da terra, mas agora eles podem vender tudo. Precisamos debater a questão da água e das energias renováveis. E também a soberania alimentar e o saneamento na área rural. ”

O Presidente nacional da CTB, Adilson Araújo, fez uma longa fala onde fez duras críticas ao governo golpista que, na visão de Adilson, busca, com essa Reforma, acabar com o sistema de previdência brasileiro e a agenda neoliberal imposta após o golpe:

“O golpe vai se configurando no que nada mais é do que o golpe do capital contra o trabalho. As forças que atuaram pelo impedimento do mandato constitucional da Presidenta Dilma estão colocando em prática, aquilo que nós denunciávamos, nada mais do que o que era implementado na Era-FHC. Uma agenda ultraliberal. ”

Adílson falou também sobre como a Reforma da Previdência irá prejudicar as mulheres e os trabalhadores rurais e fez um chamado aos trabalhadores rurais à se juntarem à CTB para lutar em defesa de mais direitos e contra os retrocessos apontados pelo governo golpista:

“A CTB, com propriedade, além de ser uma central efetivamente dos trabalhadores e das trabalhadoras, é também uma central do campo. É fundamental que a gente possa potencializar os espaços de decisão para que eles tenham a participação dos trabalhadores rurais. A vida do Sindicalista no campo ela é complexa, tem uma dinâmica própria, tem adversidades e o que está colocado para nós não é um debate material, é uma discussão política.”

Mulheres trabalhadoras rurais também marcaram presença na atividade

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *