Justiça anula eleição do Sindicato dos Metalúrgicos de Volta Redonda

Justiça anula eleição do Sindicato dos Metalúrgicos de Volta Redonda

Em decisão tomada no último dia 19 de novembro pela Juíza do Trabalho Monique da Silva Caldeira Kozlowski de Paula, as eleições do Sindicato dos Metalúrgicos de Volta Redonda foram anuladas. Um novo pleito, de acordo com a decisão judicial, deve ser realizado em 90 dias em acordo com o novo estatuto social do Sindicato.

A anulação ocorre após inúmeras irregularidades denunciadas pela categoria. Ente as críticas ao processo estão o fato do Presidente do Sindicato ser também o presidente da Comissão Eleitoral e candidato da chapa de situação e pelo pleito não ter seguido as normas estatutárias do novo estatuto social da entidade. A categoria também denunciou que os processos eleitorais de 2010 e 2014 também foram marcados por irregularidades e acredita que, com a nova eleição que se avizinha, a democracia pode retornar para a entidade de classe. A Sentença dada pela juíza é claro quanto às regras a serem seguidas no novo processo eleitoral:

Deteminando-se a realização de nova eleição, no prazo de 90 dias, conforme previsto no Art. 100, Parágrafo único do Novo Estatuto Social no Jornal Diário do Vale e no Boletim Informativo do Sindicato (denominado “9 de Novembro”), bem como, seja afixada em todas as dependências da Entidade Obreira.” – determina a juíza.

A judicialização dos processos eleitorais do Sindicato dos Metalúrgicos de Volta Redonda não é uma novidade. Em 2010 e 2014, os processos foram anulados pela Justiça do Trabalho em razão de fraudes nos processos e desrespeito às normas estatutárias, segundo a ação impetrada contra o processo eleitoral vigente.

1 Comente

Leia também...

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancelar comentário

1 Comente

  • Elestar Márcio Rodrigues
    30 de novembro de 2018 , 20:34

    Gostaria de saber a respeito da lista dos nomes da URP da csn,ja entreguei a xerox dos documentos

    RESPOSTA