MOBILIDADE URBANA É OBSTÁCULO AO DESENVOLVIMENTO DO RIO DE JANEIRO

MOBILIDADE URBANA É OBSTÁCULO AO DESENVOLVIMENTO DO RIO DE JANEIRO

A Reforma Urbana sempre foi uma pauta importante para os trabalhadores e os números de recentes pesquisas demonstraram que para os trabalhadores do Rio de Janeiro essa é uma bandeira urgente. Cidade-Sede dos Jogos Olímpicos de 2016, a capital fluminense tem na mobilidade urbana o seu maior entrave ao desenvolvimento do seu potencial e para melhorar a vida da classe trabalhadora.

Segundo Pesquisa do IBGE, no ranking da lentidão do trânsito até o trabalho, o município de Japeri ocupa a liderança em todo o Brasil, seguida por Queimados (4º lugar), Nova Iguaçu (7º), Belford Roxo (14º) e Magé (18º), todos na região metropolitana do Rio de Janeiro. Das 36 regiões metropolitanas pesquisadas pelo instituto, a do Rio também aparece em primeiro: 28,6% dos moradores perdem mais de 1 hora no transporte para o trabalho, reflexo de um modelo de transporte público sem integração real e com parca malha ferroviária e rodoviária.

A economia também sente os reflexos desse problema. Levantamento da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) estima que engarrafamentos na Região Metropolitana custarão R$ 28,7 bilhões à cidade em 2014. Dinheiro que poderia estar desenvolvendo a cidade e revertido em impostos para gerar melhores serviços para a população. A democratização dos espaços urbanos é uma demanda urgente e um desafio para as grandes metrópoles.

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *