Nota da CTB Rio de Janeiro em repúdio à campanha difamatória contra o Reitor da Universidade Federal Fluminense

Nota da CTB Rio de Janeiro em repúdio à campanha difamatória contra o Reitor da Universidade Federal Fluminense

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – Rio de Janeiro, entidade que representa o sindicalismo classista no Estado manifesta, através da presente nota, de forma oficial, seu repúdio à campanha recentemente veiculada em outdoors na cidade de Niterói que acusa o Reitor da Universidade Federal Fluminense, Professor Dr. Antônio Claudio, a cinco mortes de trabalhadores no Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP). Repudiamos não pelas bandeiras levantadas na publicidade paga pela entidade que a assina, mas sim pela leviandade não apenas de tecer uma acusação grave ao Reitor da referida universidade, mas também por relacionar o mesmo à nefasta figura do genocida que preside a República do Brasil.

Em que pesem divergências de procedimentos, legítimas bandeiras de luta e outras questões inerentes ao movimento sindical, é uma atitude completamente irresponsável associar o gestor de uma das maiores universidades do nosso país, no momento em que a educação vem sendo duramente atacada pelos fascistas que ocupam o governo federal, à assombrosa figura do Presidente da República.

Ao contrário do Professor Antônio Claudio, o Presidente da República negou a ciência durante toda a pandemia, desrespeitou normas sanitárias, zombou da morte de milhões de brasileiros e ainda por cima nos transformou em piada internacional. Enquanto isso, a Universidade Federal Fluminense mesmo com todas as dificuldades enfrentadas pelo ensino superior, produziu em seus laboratórios de pesquisa, equipamentos de proteção, mapeou a contaminação em Niterói e, através do Hospital Universitário (HUAP) e de seus laboratórios de pesquisa, tem parcela fundamental no enfrentamento da Covid-19 em Niterói.

Defendemos o adicional de insalubridade para todos os trabalhadores que atuam no Hospital ou que de algum forma possuam risco acentuado de contato com o vírus, mas rechaçamos uma campanha de baixo nível que acaba por descredibilizar não apenas a entidade autora da peça, mas o movimento sindical como um todo. A ação da direção majoritária da entidade autora da publicidade, ao espalhar essa peça sem submeter seu teor à aprovação do conjunto da base sindical, envergonha as tradições democráticas do sindicalismo brasileiro.

Reiteramos aqui, que embora existam possíveis divergências com alguns posicionamentos políticos da Reitoria da Universidade Federal Fluminense, nós, da CTB Rio de Janeiro reconhecemos e respeitamos os trabalhos que as universidades brasileiras tem promovido no combate à pandemia do Novo Cornavírus.

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – Rio de Janeiro lamenta profundamente ter que emitir essa nota para condenar a postura de uma entidade do movimento social. No momento, sabemos que a unidade entre nós, trabalhadores é mais do que fundamental para enfrentar os retrocessos no momento em que os governos federal e estadual encontram-se nas mãos de segmentos que promovem a necropolítica, não respeitam os direitos da classe trabalhadora e atuam com vigor pelo desmonte do Estado e para abalar as estruturas da nossa democracia. No entanto, não podemos concordar com atitudes difamatórias que refletem a prática de Fake News, tão usada pela extrema direita do nosso país.

Rio de Janeiro, 18 de Agosto de 2020

Paulo Sérgio Farias
Presidente da CTB-RJ

Leia também...

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancelar comentário