Nota de repúdio da CTB Rio de Janeiro sobre a manifestação fascista da FENTECT e da oposição do SINTECT-RJ

Nota de repúdio da CTB Rio de Janeiro sobre a manifestação fascista da FENTECT e da oposição do SINTECT-RJ

Fascistas não passarão!

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – Rio de Janeiro manifesta, através da presente nota, seu choque e seu repúdio ao ato irresponsável feito pela militância da FENTECT e da oposição do Sintect Rio de Janeiro. No ato, realizado em frente à sede dos Correios, inverdades foram proferidas pelas forças políticas opositoras e a bandeira de nossa central foi queimada, o que demonstra o grau de ódio que beira o fascismo presente na atividade. Nós, que representamos o sindicalismo classista, condenamos com veemência a atitude da militância da FENTECT e da oposição do Sintect-RJ e ressaltamos que centrais sindicais e movimentos sociais não são os inimigos da CTB: nós defendemos a unidade dos trabalhadores e trabalhadoras contra os retrocessos e contra o fascismo.

Num momento em que figuras como Donald Trump preside uma das maiores economias mundiais e que Jair Bolsonaro se destaca nas pesquisas de intenção de voto em nosso país, a propagação do ódio como ferramenta de disputa política é algo que não imaginaríamos ver no meio da disputa sindical. A bandeira da CTB, da CUT, da CONLUTAS ou de qualquer outra Central Sindical, entidade do movimento social ou Partido Político deve sempre ser respeitada. Nossas divergências devem ser tratadas no campo da política e o ódio gerado por manifestações como a da militância da FENTECT e da oposição do Sintect-RJ apenas fortalecem os setores fascistas e reacionários, que negam a política e buscam um programa de opressão e violência contra a esquerda, os movimentos sociais e os trabalhadores.

A atual FINDECT nasceu do rompimento com a FENTECT por conta do envolvimento de diversos dirigentes desta federação com o esquema corrupto do Vale Farmácia, que envolvia a empresa e o governo. Assim, a FINDECT nasce com o compromisso ético de lutar por uma gestão transparente e de combate a desvios na ECT. É falsa a acusação sobre o plano de saúde. Nós levamos a situação do plano de saúde para a justiça antes do início da negociação coletiva, sendo assim, esse tema será resolvido na esfera judicial apropriada.

A oposição, que tem como prática puxar greves ilegítimas que geram descontos salariais na classe trabalhadora, como a greve do dia 19, taxada de abusiva pelo TST e que vem gerando grande problema para os trabalhadores, precisa aprender que calúnias não irão iludir os trabalhadores. A CTB segue firme ao lado da FINDECT e do SINTECT-RJ em defesa dos trabalhadores dos correios e por uma cultura de movimento sindical com foco na política e que ponha fim a ataques levianos de setores que, após derrotados nas urnas, não conseguem encontrar um rumo para sua própria atuação.

Rio de Janeiro, 29 de Setembro de 2017

Paulo Sérgio Farias
Presidente da CTB RJ

3 Comentários

Leia também...

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancelar comentário

3 Comentários

  • Fernando Alves Ferreira Gomes Soares
    30 de setembro de 2017 , 03:00

    Vamos deixar as diferenças de lado, a união dos trabalhadores, é fundamental, para enfrentarmos esse governo golpista.

    RESPOSTA
  • Derly cruz
    30 de setembro de 2017 , 07:21

    O momento é de união, estamos vivenciando vivenciando um retrocesso em todas as esferas trabalhistas e agora a sindical tbm.
    Precisamos nos unir contra esse governo golpista.

    RESPOSTA
  • Sergio Menezes Sindicato dos Bancários
    30 de setembro de 2017 , 12:58

    Faço minhas as pslavras proferidas no repúdio. As nossas divergências devem ser pautadas no campo da politica e não na propagação do ódio de classes. O momento é de unidade das forças progressistas/classistas. As demandas da classe trabalhadora são latentes devido aos ataques desse governo golpista. Vamos deixar de lado o ego e a vaidade em fazermos a luta com unidade focando nossos inimigos de classes !!! Podemos divergir uns dos outros, mas , com respeito.

    RESPOSTA