PROFESSORES DA REDE PRIVADA ADEREM À PARALISAÇÃO DO DIA 15

PROFESSORES DA REDE PRIVADA ADEREM À PARALISAÇÃO DO DIA 15

Professores de diferentes escolas particulares do Rio decidiram aderir à paralisação nacional marcada para esta quarta-feira (15) em protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência, além de outras medidas do governo golpista.

Entre as unidades escolares que serão total ou parcialmente paralisadas, estão colégios tradicionais da região metropolitana do Rio de Janeiro como: Colégio São Vicente de Paulo, no Cosme Velho; Colégio Teresiano, na Gávea; Colégio Andrews, no Humaitá; Centro Educacional Anísio Teixeira (Ceat), em Santa Teresa; Colégio Franco Brasileiro e Escola EDEM, em Laranjeiras; Colégio Santo Inácio e Escola Sá Pereira, em Botafogo; Escola Oga Mitá, com unidades na Tijuca e em Vila Isabel; Escola Parque, na Gávea e na Barra da Tijuca; e Centro Educacional de Niterói (CEN).

Nos últimos dias, diferentes escolas cujos professores decidiram aderir à paralisação enviaram comunicados aos responsáveis por seus alunos.

“Diante do conturbado clima político que vivemos no país desde as eleições de 2014, nós, profissionais do CEAT, informamos a adesão integral à paralisação do dia 15 de março de 2017”, diz a circular enviada pelo Ceat. “O atual governo federal vem realizando mudanças radicais no país, sem qualquer debate com a sociedade”, continua o comunicado, que termina dizendo: “Entendemos as dificuldades que uma paralisação pode trazer às famílias, mas não nos esquivaremos de nos posicionar nesse momento tão delicado”.

O Colégio São Vicente de Paulo também enviou uma circular aos pais de seus estudantes. “Nós, educadores do Colégio São Vicente de Paulo, vemos a proposta de emenda da Constituição (PEC 287/2016) como um retrocesso em relação aos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras do Brasil. Portanto, por não aceitarmos a perda desses direitos, acolhemos a orientação de paralisação ao longo do dia 15 de março (quarta-feira), proposta pelo Sinpro-Rio (Sindicato dos Professores do Município do Rio de Janeiro) e endossada pela Associação de Professores”.

No Colégio Teresiano, segundo informou a direção da escola, professores da educação infantil e do ensino fundamental vão aderir à paralisação. Uma circular será enviada aos responsáveis nesta terça-feira. Professores de outros segmentos ainda decidirão sobre o assunto.

Já a direção do Colégio Andrews enviou aos responsáveis pelos alunos um comunicado informando que a escola estará aberta nesta quarta-feira, mas avisa que “a normalidade do dia escolar dependerá, em larga medida, da presença de professores e funcionários”. Em seguida, o texto comunica que, por conta dessa realidade, reuniões e avaliações marcadas para o dia 15 serão transferidas para outra data.

A posição é semelhante à da Escola Parque que avisou, em comunicado, que os professores irão aderir à mobilização, mas que, “buscando atender as necessidades dos pais”, o colégio receberá os alunos, “porém não haverá aula curricular”.

 

Créditos: O Globo

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *