PROFESSORES E ESTUDANTES SÃO REPRIMIDOS EM ATO CONTRA MUDANÇAS NO RIOPREVIDÊNCIA

PROFESSORES E ESTUDANTES SÃO REPRIMIDOS EM ATO CONTRA MUDANÇAS NO RIOPREVIDÊNCIA

Centenas de profissionais da educação e estudantes foram duramente reprimidos pelas forças policiais em protesto realizado na tarde desta quarta-feira (30), na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ). Os manifestantes foram impedidos de entrar na Casa por seguranças e recebidos com spray de pimenta. Eles pretendiam acompanhar a votação, em discussão única, do projeto de lei 1.251/15, que altera regras para benefícios nas pensões por morte no Rioprevidência.

Quando os manifestantes estavam na porta do Palácio Tiradentes, por volta de 12h30, o presidente da Assembleia Lesgislativa, Jorge Picciani (PMDB-RJ), estava chegando no local e foi questionado pelos servidores. Assim que ele entrou, os seguranças fecharam a porta da Casa, impedindo a entrada do grupo. Foram lançados spray de pimenta nos servidores.

O projeto de lei 1.251/15, enviado para a Alerj pelo governo, altera regras para benefícios nas pensões por morte no Rioprevidência. Entre as modificações, está a duração das pensões para cônjuges, companheiras, companheiros e parceiros homoafetivos, que passarão a ter prazos estabelecidos de acordo com a idade do beneficiário no momento da morte do segurado. Com isso, só será vitalício o benefício para as pessoas a partir de 40 anos e o servidor terá que contribuir, no mínimo, por 24 meses ao órgão e a união tiver sido estável por pelo menos dois anos.

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *