SINDICATO DOS ÁRBITROS PREPARA AÇÕES CONTRA CBF E PODE PARAR O CAMPEONATO BRASILEIRO

SINDICATO DOS ÁRBITROS PREPARA AÇÕES CONTRA CBF E PODE PARAR O CAMPEONATO BRASILEIRO

O Sindicato dos Trabalhadores e Colaboradores da Arbitragem Esportiva no Estado do Rio de Janeiro (SINTRACE-RJ) está firme na luta pelos direitos da categoria. Após ação ajuizada pelo cetebista, Marçal Rodrigues, Presidente do SINTRACE, o Ministério Público do Trabalho intimou a CBF a, em 60 dias, a se manifestar para que a atribuição da escala, treinamento e organização dos árbitros seja responsabilidade da entidade de classe, e não mais da CBF, como manda a Lei Pelé. O Ministério também cobra a profissionalização da contratação da categoria, questiona o patrocínio nos uniformes sem a participação da categoria e a subjetividade dos critérios de escalação.

Segundo Marçal, caso a CBF não aceite as medidas, haverá ação civil pública e até paralisação do Campeonato Brasileiro. O cetebista questiona que, do jeito que acontece hoje, quem representa os árbitros são os representantes dos clubes, ”o que configura grave conflito de interesse e é péssimo para o esporte.”

“Os árbitros são autônomos, donos do próprio negócio. A Lei Pelé, no seu artigo 88, garante essa autonomia de trabalho e de organização. Aqui no Rio de Janeiro, o SINTRACE irá requerer isso a todas as federações esportivas.”

O dirigente sindical relata, no entanto, que a audiência ainda precisa incluir a categoria. Segundo ele, é necessário que os trabalhadores da comissão de arbitragem sejam inseridos nessa pauta e passem a trabalhar com carteira assinada. Marçal, inclusive relata que já há certo reconhecimento dessa questão por parte da comissão:

“O próprio Sérgio Correia (presidente da Comissão de Arbitragem da CBF) já testemunhou e o procurador deu entendimento que somos funcionários sim, mas sem carteira assinada, o que configura fraude trabalhista.”

Outro alvo da categoria é o Presidente da CBF, Marco Polo Del Nero, por conta dos ganhos da entidade com a publicidade nos uniformes dos trabalhadores:

“Nós estamos vendo com o jurídico um processo na Justiça Desportiva contra o Marco Polo Del Nero sobre a questão da apropriação indébita do uniforme dos trabalhadores sem repassar nenhum centavo pros árbitros. Queremos o ressarcimento integral de cada centavo para cada trabalhador.”

O Sindicato também faz questionamentos sobre os critérios de escolha e data de divulgação dos integrantes do quadro da FIFA:

“Eles só publicam quem está no quadro da FIFA no ano seguinte, quando o fato é consumado. Nas federações de Portugal, Inglaterra, Colômbia e diversos países, esses dados são publicados sempre no mesmo ano. Isso prejudica a categoria pois não podemos questionar os critérios que são computados, nos mantendo como reféns desse abuso de poder que não cumpre nem o que eles combinaram de maneira interna.”

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *