Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro recebe abertura do Congresso da CTB Rio de Janeiro

Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro recebe abertura do Congresso da CTB Rio de Janeiro

O centenário Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro recebeu, na última sexta-feira (9), a abertura do 4º Congresso da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – Rio de Janeiro. A atividade aconteceu no auditório da sede do sindicato e contou com uma ampla mesa que reunia dirigentes sindicais das mais variadas categorias e centrais, lideranças partidárias e de movimentos sociais.

No centro dos debates da abertura, a conjuntura política, a luta contra os golpistas que usurparam o Planalto, contra os ataques de Pezão ao servidores do Rio de Janeiro e a necessidade da unidade das forças progressistas e democráticas para resistir aos ataques promovidos pela direita neoliberal. A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB), presente na atividade, valorizou a unidade da mesa de abertura do 4º Congresso da CTB-RJ:

 

 

“Isso aqui já é uma luta política! Uma abertura de congresso com a presença de mais de 5 centrais e inúmeros sindicatos, partidos e movimentos sociais presentes. Uma abertura que deixa claro que ou a gente se une, ou a gente será derrotado pela direita. Eu vi a CTB nascer. Essa central nasceu de um debate intenso e com a marca do sindicalismo classista. E, hoje, é uma das maiores centrais desse país pois conseguiu colocar em suas bases diversas entidades de luta da cidade e do campo.”

Anfitrião na atividade, o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro (Sindimetal-Rio), Jesus Cardoso, se disse honrado em receber a abertura do congresso no histórico Palácio Metalúrgico e falou da expectativa que o mesmo atendesse às demandas da classe trabalhadora na luta contra a retirada de direitos. Segundo Jesus:

“É uma grande honra para esse Sindicato, que acabou de fazer 100 anos agora, um sindicato histórico, receber a abertura do 4º Congresso da CTB RJ. É com muito orgulho que recebemos essa delegação nesse momento de crise nacional, de retirada dos direitos dos trabalhadores, então a gente espera que esse congresso atenda as demandas que a população necessita, que os trabalhadores necessitam, que é enfrentar esse governo golpista e não permitir que se retirem os direitos trabalhistas.”

Vice-Presidente da CTB RJ na gestão que se encerrava, Humberto Lemos, Presidente do Sintsama-RJ, mencionou a importância do momento político em que se realizava o Congresso da CTB Rio de Janeiro e a entrada de novos sindicatos nas fileiras do sindicalismo classista:

“É fundamental a realização do 4º Congresso da CTB Estadual nesse momento delicado que vivemos na sociedade brasileira. Um congresso que aglutina os trabalhadores e eleva sua consciência sobre a luta de classes e trazendo o debate, que tá na ordem do dia, politizando nossos companheiros e atraindo novos sindicatos, que participam pela primeira vez, na nossa central. A CTB hoje é uma central muito respeitada e a que mais cresce no país. A gestão que se encerra está de parabéns e vamos fazer um grande congresso.”

A dirigente cetebista Maria Celina, com muita animação e grandes expectativas, lembrou que o congresso acontecia num momento definições importantes para o país e que, uma de suas funções, é a de pensar o futuro que, no momento, se apresenta repleto de incertezas para classe trabalhadora:

“Estou com muita animação. Acredito que vamos tirar muitas deliberações para as lutas que estão vindo por aí, em especial sobre a reforma da previdência e da reforma trabalhista. Também precisamos debater sobre o novo governo que vai vir, se não vier agora, que vem no ano que vem, e que nos deixa com uma grande interrogação. Tanto no estado, quanto nos municípios, quanto no plano federal nós temos tido muitas perdas para os trabalhadores. Então eu estou animada com esse congresso para que possamos tirar uma linha política par atuar com muita garra em defesa do trabalho e do trabalhador.”

Secretário de Finanças do mandato que se encerrava, Mário Porto se disse muito satisfeito com o processo que levou à construção do 4º Congresso e apostou num congresso com debates em alto nível e que preparasse a CTB para a luta pelos direitos dos trabalhadores:

“É com muita satisfação que a gente chega ao grande dia de abertura do nosso congresso. Esperamos que, nesse Congresso, assim com nos outros, possamos ter um bom debate, uma boa projeção, um ótimo plano de lutas para que possamos sair, no próximo mandato, enfrentando sempre esse governo que vem retirando direitos dos trabalhadores. Estamos, nesses três dias, fortalecendo nossa vanguarda no sentido de fazer esse enfrentamento para reconquistar os direitos que querem retirar da classe trabalhadora!”

 

Ao final do ato político, foi apresentada uma pequena cena da peça de teatro “Os dias que abalaram o mundo”, que será exibida no Armazém da Utopia e que, aos brados de “pão, paz e terra” embalaram toda a militância classista para que pudessem seguir para Mendes, onde iriam se realizar os demais trabalhos do congresso.

 

 

Texto: José Roberto Medeiros | CTB-RJ

Fotos: Bruno Bou

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *