Sindicato dos Músicos divulga nota em apoio à músicos agredidos no Rio

Sindicato dos Músicos divulga nota em apoio à músicos agredidos no Rio

RACISMO MATA! TODA SOLIDARIEDADE AOS MÚSICOS AGREDIDOS NO RIO!

O Sindicato dos Músicos do Estado do Rio de Janeiro – SindMusi/RJ manifesta repúdio ao racismo e à violência que músicos negros estão sendo vítimas na cidade do Rio. Apenas neste mês dois casos se tornaram públicos. Não podemos tolerar nem ser indiferentes a tamanho absurdo! Toda solidariedade! É preciso denunciar e reagir!

No dia 4 de julho, Nego Álvaro, músico do Samba do Trabalhador e um dos realizadores da roda mensal de samba no Beco do Rato, foi levado sem motivo algum por agentes da Lapa Presente à 5a Delegacia de Polícia. Em vídeo, amplamente divulgado nas redes, fica claro que apesar de ser minuciosamente revistado e apresentar seu documento de identidade, sem que nada de ilícito fosse encontrado, ele foi obrigado a acompanhar os agentes até a 5a DP.

Uma semana depois, dia 11 de julho, foi a vez do músico e compositor Felipe Campos Vieira, o Pipa, ser violentamente espancado por “justiceiros” no Bairro de Fátima. Após estacionar o carro, quando ia em direção a uma agência bancária, Pipa foi abordado por cinco homens que começaram a espancá-lo proferindo dizeres racistas. A justificativa era, segundo eles, que o músico estava portando um cigarro de maconha e que o local era um “lugar de família”. O artista registrou boletim de ocorrência e solicita apoio para identificar os agressores.

NOSSA TOTAL SOLIDARIEDADE AOS MÚSICOS NEGO ÁLVARO E FELIPE CAMPOS VIEIRA e a todos os outros músicos que tenham sofrido discriminação e agressão por motivos como gênero, orientação sexual, cor ou religião! Abaixo aos preconceitos e à onda fascista!

Somos um povo miscigenado. Não há pureza, só grandeza e uma forte identidade resultante de uma mistura única. A composição do nosso povo é em sua maioria de negros, um legado positivo de um passado trágico que sequestrou milhões da África para um dos maiores mercados escravagistas no mundo, a cidade do Rio de Janeiro. É urgente superar as marcas da desigualdade de tempos remotos que persistem de maneira vergonhosa, infringindo convenções e leis sobre direitos humanos!

A criação é um ato sem preconceito e a ebulição de todas influências que impactaram a construção do nosso povo é o que nos torna verdadeiramente ricos. A música brasileira se nutre de todo e qualquer elemento e, num processo constante de transmutação, recria-se dando ao Brasil a chancela de uma das mais ricas nações em ritmos musicais. Neste contexto, a inegável contribuição dos negros em nossa cultura deve ser motivo de orgulho!

#SomosTodosNegoAlvaro
#SomosTodosPipa
#AbaixoAondaFascista
#VivaOpovoNegro

Sindicato dos Músicos do Estado do Rio de Janeiro

Leia também...

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

Cancelar comentário