TJ irá julgar envolvidos em invasão e depredação do Sindicato dos Comerciários

TJ irá julgar envolvidos em invasão e depredação do Sindicato dos Comerciários

Por determinação do desembargador José Muiños Piñeiro Filho, da Sexta Câmara Criminal, o Tribunal de Justiça do Rio levará a julgamento em breve 196 pessoas acusadas de invadir, depredar e roubar a sede do Sindicato dos Comerciários do Rio, na Lapa, em 2015. O número de indiciados impressiona. Supera os 74 denunciados no Massacre de Carandiru, de 1992, e os 155 envolvidos no Massacre do Eldorado dos Carajás, em 1996. Ultrapassa também o total de suspeitos presos em uma festa da milícia na Zona Oeste, em abril deste ano: 149.

O ataque ao Sindicato dos Comerciários chamou a atenção justamente pela quantidade de pessoas presas em flagrante: 202. Além dos 196 adultos, havia seis menores no grupo. “É difícil que tantos réus tenham sido assistidos por um mesmo advogado, como é o caso desse processo”, diz o defensor de todos os acusados, José Guilherme Costa de Almeida. O criminalista não soube precisar, no entanto, se o julgamento bateu o recorde de número de réus num mesmo processo no Brasil.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, todos os indiciados vieram de São Paulo com objetivo criminoso de “depredar e subtrair os pertences da sede do Sindicato”. Eles chegaram em quatro ônibus. Tinham em seu poder dois socos-ingleses, um deles dotado de lâmina, simulacro de pistola, faca e canivete. A polícia apreendeu também drogas, fogos de artifício e fumaças sinalizadoras.

R$ 100 para cada

Os acusados foram denunciados por dano triplamente qualificado, roubo triplamente majorado, corrupção de menores e quadrilha armada. A quantidade de presos foi tamanha que eles foram ouvidos num auditório, já que na 5ª DP (Centro), onde o caso foi registrado, não cabia tanta gente. Alguns réus chegaram a confirmar que tinham sido contratados por outra Central Sindical, tendo recebido R$ 100, cada.

O TJ ainda não marcou a data do julgamento, mas o mestre em Direito Público Sérgio Camargo acredita que o juiz vá desmembrar o processo. “No nosso tribunal, a orientação é de que (cada julgamento) não supere cinco pessoas “.

O advogado dos réus diz que está tranquilo. “Minha linha de defesa será a necessidade de se individualizar as condutas de cada um dos supostos envolvidos. Se apenas um pequeno grupo entrou no Sindicato dos Comerciários, o mínimo que se exige é que se aponte quem são”, afirmou Almeida.

Crime teria motivação eleitoral

Segundo o presidente licenciado do Sindicato dos Comerciários, Márcio Ayer, a intenção do ataque seria impedir a realização de eleições na entidade. “O objetivo deles era roubar as urnas”, lembra Ayer. Ele conta que o sindicato, à época, sob o comando da família Mata Roma, era filiado à outra Central Sindical. “A gente era da CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil). Existe uma disputa natural no movimento sindical entre as centrais. Mas, nunca tinha visto algo semelhante”, afirmou Ayer, vitorioso nas eleições.

Após invadirem a sede do sindicato, os vândalos teriam destruído e danificado todos os móveis e maquinários que encontraram pela frente nos oito andares do prédio, inclusive cinco consultórios médicos, três dentários, 15 computadores, máquinas de café, extintores e bebedouros, além de documentos. Teriam furtado R$ 4 mil em espécie e R$ 40 mil em cheques. O prejuízo foi estimado em R$ 5 milhões.

 

Fonte: O Dia

Leia também...

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *