Aprovada incorporação da UEZO à UERJ: “Vitória Sindical Expressiva!”, afirma dirigente da CTB e do Sintuperj

Aprovada incorporação da UEZO à UERJ: “Vitória Sindical Expressiva!”, afirma dirigente da CTB e do Sintuperj

Uma luta sindical antiga, protagonizada pelo Sintuperj, teve um capítulo fundamental na última segunda-feira (15). Por 59 votos a favor (com 9 contrários e 1 abstenção), a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ) aprovou a incorporação da Fundação Centro Universitário da Zona Oeste (UEZO) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). A incorporação é uma grande vitória para as comunidades acadêmicas das duas universidades e garante uma universidade pública, gratuita, socialmente referenciada e de qualidade na Zona Oeste.

 

A dirigente da CTB e do Sintuperj, Regina Souza, conversou com o Portal CTB RJ e considerou a aprovação como “fruto de uma luta histórica”. Segundo Regina, a UEZO, desde sua fundação luta para ter reconhecimento e emancipação como uma universidade de fato e de direito. Há cinco anos atrás, o Portal CTB RJ já havia denunciado a asfixia sofrida pela universidade (clique aqui para ler).

 

“Desde sua fundação, como Centro Universitário da Zona Oeste, a comunidade luta para ter seu reconhecimento, sua emancipação e ser uma universidade de fato e de direito. A UEZO nunca teve um campus universitário, nunca teve um plano de cargo para seus servidores. A emancipação era necessária pois a UEZO nunca teve sua autonomia universitária.” – afirmou Regina.

 

A dirigente relatou o papel fundamental do Sindicato – Sintuperj – no processo de luta pela incorporação da UEZO na UERJ. De acordo com Regina, havia desesperança e a universidade entrou num processo de diminuição quando a comunidade universitária percebeu que suas demandas por emancipação e reconhecimento não seriam atendidas pelo governo do Estado. A UEZO, fundada 2005, até hoje funcionava em uma escola da rede estadual, que lhe acolheu de portas abertas, e tinha dificuldades para se consolidar como a referência que se propunha a ser quando de sua criação.

 

Sintuperj realizou diversos atos pela Incorporação

Quanto eles percebem que a emancipação, esse reconhecimento como universidade de fato e de direito não ia se dar, a comunidade da UEZO começou a se desesperançar, a universidade começou a diminuir. Nesse momento, a atuação do Sintuperj foi fundamental para organizar os trabalhadores a seguir na luta para enfrentar as dificuldades que a universidade tinha no seu dia-a-dia.

 

“O Sintuperj esteve nessa luta bem antes do projeto aprovado, sempre esteve organizando os trabalhadores na UEZO para que eles tivessem forças para enfrentar o que eles vinham enfrentando no dia-a-dia. A organização sindical foi muito importante, o Sintuperj foi ponta de lança e conseguiu, como representantes das 3 universidades públicas estaduais, através de assembleias, plenárias, trazer esperanças aos trabalhadores da UEZO. Hoje, a comunidade da UEZO se sente segura, os trabalhadores se sentem seguros em suas reivindicações, em suas demandas, porque tem um sindicato – o Sintuperj – que deu a eles as ferramentas para lutar.”- explicou Regina.

 

A dirigente comemorou a aprovação e ressaltou o papel do Sindicato que articulou muito na ALERJ para virar votos e garantir o apoio do governador para que o projeto entrasse em pauta e fosse aprovado.

 

“Nós do Sintuperj, nos sentimos muito orgulhosos e gratificados pela luta porque foram meses percorrendo gabinetes, virando votos, entregando material, fazendo reuniões. Em muitos momentos, quando tudo estava certo, o projeto era retirado de pauta porque não tinha quórum, porque o governador não tinha se posicionado. Tivemos que buscar a interferência do Governador para que esse projeto pudesse ser pautado na ALERJ, como foi no dia 15.”- disse.

 

Agora, o projeto segue para sanção e medidas do Governador para que se torne realidade. A comunidade da UEZO passará a ocupar o espaço que era da antiga universidade Moacyr Bastos, no bairro de Campo Grande. A incorporação garante amparo aos estudantes, um plano de cargos para os técnicos, proteção para a carreira dos docentes e a possibilidade de concurso público.

 

“Quero deixar uma mensagem que essa luta, agora, com a universidade incorporada, não era apenas para ter uma universidade ampliada na UERJ. É para ter um ensino de qualidade, público, socialmente referenciado, na Zona Oeste. A comunidade da UEZO veio conosco, disse sim à essa necessidade. Todos os alunos, professores e técnicos da UEZO terão os mesmos direitos dos alunos, professores e técnicos da UERJ. Esse é o capítulo final de uma história contada desde lá de trás, iniciada pelo Sintuperj. Tenho muito orgulho de dizer que frequento a Zona Oeste, a UEZO, desde 2010, sempre colocando para os trabalhadores que quem luta, vence. É uma vitória da educação, de toda comunidade da Zona Oeste e uma vitória sindical expressiva.”- disse Regina.

Leia também...

Qual a sua opinião?

Seu e-mail não será publicado. Os campos com * são obrigatórios.