ATO POLÍTICO MARCA POSSE DE NOVA DIRETORIA DO SINDIMETAL-RIO

ATO POLÍTICO MARCA POSSE DE NOVA DIRETORIA DO SINDIMETAL-RIO

Aconteceu, na última sexta-feira (17), na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro em Benfica, o ato político que marcou a posse da nova diretoria que ficará à frente da entidade até o ano de 2019. Compuseram a mesa do ato político, diversas lideranças dos movimentos sociais e partidos de esquerda com destaque para o presidente eleito Jesus Cardoso; o representante do Grêmio dos Aposentados, companheiro Nobre; a Secretária de Políticas para as Mulheres da Prefeitura do Rio de Janeiro, Ana Rocha; o presidente da Federação Interestadual dos Metalúrgicos (Fitmetal), Marcelino Rocha; o representante da central sindical Conluntas, Roberto Tinoco; o Secretário Geral da União Internacional dos Sindicados de Metalurgia e Mineração (UIS-MM), Francisco José; o representante da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Indalécio Wanderlei; o vice-presidente da Federação Sindical Mundial (FSM), João Batista Lemos; a Deputada Estadual Enfermeira Rejane (PCdoB); o Presidente Nacional da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Araújo; o representante da CSB, José Avelino; o dirigente da Federação Única dos Petroleiros (FUP), Joacir Pedro) e o presidente do Sindicato dos Comerciários do Rio de Janeiro (SEC-RJ), Marcio Ayer.

O ato começou com a execução do hino nacional e teve uma saudação inicial do novo presidente do Sindimetal-Rio, Jesus Cardoso, que afirmou que o “momento político é delicado mas que, com a unidade dos trabalhadores, vamos superar todos os obstáculos para que o Brasil siga avançando”. Presente na atividade, o Secretário Sindical do Partido Comunista do Brasil (PCdoB), Nivaldo Santana, parabenizou a diretoria eleita e afirmou que a “nova diretoria vai saber honrar o mandato que recebeu dos trabalhadores e enfrentar os desafios que o País passa”.

Geisa Linhares, representando o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (SEPE), também marcou presença na solenidade e defendeu a mobilização dos trabalhadores para enfrentar a crise que vive o Brasil. Nas palavras de Geisa, “é difícil o momento que o país vive e a solução só será encontrada com a mobilização dos trabalhadores e das trabalhadoras”. O Secretário Geral do Sindimetal-Rio, Jorge Gonçalves, defendeu a unidade para resistir aos ataques aos direitos trabalhistas. Nas palavras do companheiro, “nesse momento que o Congresso Nacional vem retirando nossos direitos é importante a unidade para que possamos enfrentar essa ofensiva”.

Representando o Partido dos Trabalhadores (PT), o ex-dirigente do Sindimetal-Rio André Braga relembrou as antigas campanhas salariais da categoria e afirmou que “foi aqui que eu aprendi o que era luta de classes”. O Secretário Geral da UIS-MM, Francisco José saudou a nova diretoria com uma saudação “internacionalista, classista e operária” e defendeu a unidade dos trabalhadores para enfrentar as forças conservadoras. A deputada comunista, Enfermeira Rejane (PCdoB), colocou o mandato ao lado da categoria e disse que “estamos juntos nessa luta. A responsabilidade é grande ao assumir essa entidade quase centenária e nosso mandato está à disposição dos metalúrgicos e das metalúrgicas em defesa da democracia, do Brasil e dos Trabalhadores”.

Membro da executiva do Sindimetal-Rio e da CUT, Indalecio Wanderlei, afirmou que a categoria é histórica e afirmou que “organizar a nossa categoria é organizar a luta dos trabalhadores”. O vice-presidente da FSM, João Batista Lemos, defendeu a unidade das forças progressistas e afirmou que “o Brasil passa por uma situação aguda onde querem tirar os direitos da classe trabalhadora”. Na avaliação de Batista é necessário que todos se unam para defender os direitos trabalhistas e combater os conservadores. Segundo o dirigente da FSM, “temos que botar o Eduardo Cunha para fora”.

O Presidente Nacional da CTB fez uma avaliação do quadro político do país em sua fala e chamou todos à luta. Nas palavras de Adilson, “a força motriz do desenvolvimento demanda da capacidade de organização e mobilização da classe trabalhadora”. O cetebista criticou bastante as posturas do presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB) e defendeu o combate à corrupção com uma Reforma Política que acabe com o financiamento privado de campanha.

Encerrando a atividade, o Presidente do Sindimetal-Rio, Jesus Cardoso defendeu a união dos trabalhadores como ferramenta para a transformação da realidade do Brasil. Jesus também ressaltou sua própria história e afirmou que “minha história é uma história de luta ao lado dos trabalhadores. E nesse mandato vamos lutar muito para conquistar avanços para a categoria e para construir um Brasil cada vez melhor”.

Leia também...

Qual a sua opinião?

Seu e-mail não será publicado. Os campos com * são obrigatórios.