Brasil teve um estupro a cada 10 minutos e um feminicídio a cada 7 horas em 2021

Brasil teve um estupro a cada 10 minutos e um feminicídio a cada 7 horas em 2021

Em 2021, o Brasil registrou um estupro a cada 10 minutos e um feminicídio a cada 7 horas, segundo um levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) publicado nesta segunda-feira (7), véspera do Dia Internacional da Mulher.

O documento foi elaborado a partir dos boletins de ocorrência das Polícias Civis das 27 unidades da federação.

Os dados mostram que houve 56.098 estupros — incluindo de vulneráveis — do gênero feminino, em todo o país, o que representa um aumento de 3,7% em relação ao ano anterior. Já os casos de feminicídio caíram 2,4%, foram 1.319 vítimas em 2021 e 1.351 no ano anterior.

O FBSP percebeu ainda um aumento nos crimes contra meninas e mulheres durante a pandemia da Covid-19. Entre março de 2020 — quando o vírus chegou no Brasil — e dezembro de 2021 – último mês com dados disponíveis —, foram registrados 2.451 feminicídios e 10.398 casos de estupros.

Para a diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Samira Bueno, os dados apontam para a urgência da implementação de políticas públicas de acolhimento, prevenção e enfrentamento à violência contra meninas e mulheres no Brasil.

“Apesar do leve recuo na incidência de feminicídios, os números permanecem muito elevados, assim como os registros de violência sexual”, diz Samira Bueno.

 

Feminicídio

 

A taxa de mortalidade por feminicídio foi de 1,22 morte a cada 100 mil mulheres, um recuo de 3% em relação ao ano anterior, quando a taxa foi de 1,26 morte por 100 mil habitantes do sexo feminino.

Os estados que registraram as maiores taxas de feminicídio – muito superiores à média nacional — foram:

  • Tocantins
  • Acre
  • Mato Grosso do Sul
  • Mato Grosso
  • Piauí

Conforme o levantamento, em relação à variação entre os anos de 2020 e 2021, chama atenção o crescimento dos feminicídios no Tocantins, que passou de vítimas em 2020 para 22 no ano passado (144,4%).

O Rio Grande do Norte contabilizou mortes a mais em 2021 (53,8%), e o Distrito Federal aponta um crescimento de 47,1% no número de feminicídios, passando de 17 vítimas em 2020 para 25 no ano seguinte.

Entre os estados que apresentaram as reduções mais significativas, o destaque vai para São Paulo, que passou de 179 vítimas em 2020 para 136 no ano seguinte (-24%), ou seja, 43 vítimas a menos.

Estupro

 

Foram registrados 56.098 boletins de ocorrência de estupros, incluindo vulneráveis, apenas do gênero feminino. A taxa média de estupros e estupros de vulneráveis foi de 51,8 para cada 100 mil habitantes do sexo feminino.

Em 12 estados a taxa ficou acima da média nacional em 2021, são eles:

  • Piauí (56,7)
  • Rio Grande do Sul (59,5)
  • Pará (68,6)
  • Goiás (71,8)
  • Paraná (85,4)
  • Santa Catarina (90)
  • Tocantins (90,5)
  • Mato Grosso (97,4)

 

Os Estados de Rondônia (102,3), Amapá (107,7), Mato Grosso do Sul (129,7) e Roraima (154,6) apresentaram taxas superiores a 100 estupros para cada 100 mil mulheres. O total de estupros nos últimos 3 anos, no Brasil, foi de:

  • 61.531 em 2019
  • 54.116 em 2020
  • 56.098 em 2021

 

Leia também...

Qual a sua opinião?

Seu e-mail não será publicado. Os campos com * são obrigatórios.