CTB faz homenagem à Trabalhadores que Lutaram e Lutam pelo Brasil

CTB faz homenagem à Trabalhadores que Lutaram e Lutam pelo Brasil

Terezinha arquivos 156

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, com o intuito de relembrar às novas gerações as atrocidades cometidas pela ditadura militar, promoveu uma homenagem, na última quarta-feira (14), aos trabalhadores e trabalhadoras vítimas do regime autoritário. Entre os homenageados estavam os metalúrgicos João Batista Lemos (que atualmente é Vice-Presidente da Federação Sindical Mundial) e o militante histórico do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro, o companheiro Severino.

 

O Presidente nacional da CTB, Adilson Araújo, transmitiu o sentimento da atividade em sua fala “de Ana Martins a Zezinho do Araguaia, a CTB presta esta homenagem aos trabalhadores e trabalhadoras que com sua abnegação propiciaram a chance de estarmos respirando liberdade por quase 30 anos”. A homenagem se estendeu a muitos sindicalistas mortos em combate, nos porões da ditadura ou assassinados por pistoleiros a mando de latifundiários. Também presente na atividade, o Presidente Estadual da CTB Rio de Janeiro, Ronaldo Leite, exaltou a importância desse resgate histórico ao dizer que é “muito importante que uma central classista como a CTB faça esse resgate histórico da memória dos camaradas que lutaram pela democracia no momento mais difícil para a Classe Trabalhadora ao longo da história.”

 

A mestre de cerimônia do ato, Renata Mielle, leu texto contando a história recente dessa resistência e a cantora Railídia Carvalho, acompanhada pelos músicos Paulo Godoy e Ed Encarnação, interpretou repertório intrinsecamente ligado ao momento de resistência porque trabalhadores, estudantes, intelectuais e artistas se uniram pelo projeto comum de restabelecer a ordem democrática no país. O Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro (Sindimetal-Rio), Alex Santos, que também marcou presença na atividade, reafirmou o papel dos sindicalistas na luta pela democracia: “o movimento sindical não se entregou e enfrentou a ditadura militar. Homenagear os camaradas que fizeram parte dessa luta é uma honra para nós que seguimos lutando hoje em defesa das reformas de base que nosso País tanto precisa.”.

Leia também...

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *