CTB-RJ mobiliza base social para ato por justiça para Moise

CTB-RJ mobiliza base social para ato por justiça para Moise

A CTB Rio de Janeiro, entidade que representa a luta do sindicalismo classista no Rio de Janeiro, através de seu compromisso com a luta contra o Racismo e contra os regimes de trabalho análogos à escravidão, mobiliza suas fileiras para se unir aos protestos por justiça para Moise Mugenyi Kabagambe, jovem trabalhador congolês brutalmente assassinado após cobrar seus direitos trabalhistas na Barra da Tijuca.

O ato de Justiça para Moise está marcado para o próximo sábado, dia 5, às 10 horas, no posto 8 da Barra da Tijuca, em frente ao Quiosque Tropicália onde o mesmo trabalhava. Toda base social da CTB-RJ está mobilizada para o ato, que assume papel de prioridade para a Central Sindical nesse momento.

O Presidente da CTB-RJ, Paulo Sérgio Farias, comentou com exclusividade ao Portal CTB-RJ, sobre o assassinato e elencou as responsabilidades dos governos federal e estadual no brutal crime cometido, reafirmando os compromissos de luta da central contra o racismo e o trabalho escravo:

“A CTB condena veementemente essa barbaridade, esse crime violento. Não podemos aceitar e muito menos, permitir que se naturalize a barbaridade. Esses crimes têm sua origem na formação escravocrata do Brasil mas é mais do que incentivado pelo discurso de ódio e a política fascistizante do governo Bolsonaro. Bolsonaro incentiva a prática do ódio e do preconceito racial, e esses exemplos se irradiam, se multiplicam e causam dor e morte. A morte de Moise é resultado desse país arrasado pelo desemprego, pela fome , pela miséria e pelo genocídio de milhares de pessoas vítimas da covid e do negacionismo. É resultado da necropolitica de Cláudio Castro. Nesse momento de dor, manifestamos nossa solidariedade à família, aos amigos, a comunidade congolesa no Brasil. Exigimos rápida e profunda investigação com a exemplar punição dos culpados. E que esse exemplo sirva de freio para aqueles que ousem incentivar ou praticar atos racistas em nosso país.”-  disse, Paulo Sérgio.

Confira abaixo a nota oficial da CTB-RJ sobre o assassinato de Moise.

Nota de Pesar: Justiça para Moise Mugenyi Kabagambe!

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – Rio de Janeiro, através da presente nota, manifesta todo seu pesar e solidariedade à família, aos amigos e à comunidade congolesa do Brasil pelo brutal assassinato do jovem trabalhador Moise Mugenyi Kabagambe.

Nascido na República Democrática do Congo em 4 de Abril de 1997, Moise era um dos milhares de jovens que atravessaram o atlântico buscando construir a vida em nosso país. Trabalhador, atuava como ajudante de cozinha no Quiosque Tropicália, na Barra da Tijuca, que de seu local de trabalho acabou por se tornar a causa de sua morte. Moise cobrava vencimentos atrasados quando, por denúncias feitas à polícia e à imprensa, foi torturado e assassinado por um grupo de assassinos no Quiosque Tropicália.

Nós, da CTB-RJ, repudiamos esse crime e cobramos apuração célere dos órgãos competentes bem como exigimos justiça para Moise. Esse assassinato demonstra como alguns patrões lidam com os trabalhadores e trabalhadoras contratados para seus estabelecimentos, como se tivessem direito sobre a vida dos mesmos, por vezes incorrendo em situações análogas à escravidão.

Moise pagou com a vida por lutar por um direito seu, o direito de receber pelo que trabalhou. A Classe Trabalhadora deve se unir com a comunidade congolesa, com a família de Moise, e somar na luta por justiça! A CTB-RJ cerrará fileiras nessa luta!

Rio de Janeiro, 31 de Janeiro de 2022

Paulo Sérgio Farias
Presidente da CTB-RJ
Raimunda Leone
Secretária Geral da CTB-RJ

Leia também...

Qual a sua opinião?

Seu e-mail não será publicado. Os campos com * são obrigatórios.