Economia é a principal preocupação do eleitor fluminense segundo IESP/UERJ

Economia é a principal preocupação do eleitor fluminense segundo IESP/UERJ

O Instituto de Estudos Sociais e Políticos da UERJ (IESP/UERJ) realizou uma pesquisa qualitativa que apontou a economia do Estado como principal preocupação do eleitor fluminense às vésperas da eleição para governador. O resultado não surpreende.

 

De acordo com o economista Mauro Osório, desde 1970 o Rio de Janeiro perdeu mais de 37% da sua participação na economia nacional. E o quadro, que já era muito ruim, piorou a partir de 2015.

 

“Entre dezembro de 2014 e dezembro de 2021, enquanto o estado do Rio de Janeiro perdeu 580.133 empregos formais, no Brasil, no total, foram criados 727.309 empregos segundo dados do Caged”, diz Osório.

 

Com os números apresentados pelo economista, não surpreende que a economia seja a principal preocupação do eleitor fluminense. Apesar da divulgação de dados supostamente positivos pelo Governo do Estado no que tange à recuperação de empregos, o Rio de Janeiro ainda vive uma grande crise econômica e social, o que impulsiona outros índices como o da violência e da evasão escolar para cima e cria um ambiente negativo para o povo trabalhador do Estado.

 

Apesar do quadro, Claudio Castro segue liderando pesquisas para governador

 

Apesar das preocupações dos eleitores, pesquisa divulgada na última segunda-feira (6) pelo Instituto Paraná Pesquisas aponta que o atual governador, Claudio Castro (PL), lidera as pesquisas para o governo do Estado.

 

Segundo a pesquisa, Castro tem 23,1% das intenções de voto, estando à frente mas tecnicamente empatado com Marcelo Freixo (PSB), que tem 21,4%. O candidato do PDT, o ex-prefeito de Niterói Rodrigo Neves, aparece na terceira posição com 8,0%.

 

A pesquisa também revela que entre os pré-candidatos, Marcelo Freixo é o que tem a maior rejeição com 45,7% dos entrevistados afirmando que não votariam no candidato do PSB. O governador Cláudio Castro é rejeitado por 36,3% dos eleitores, e Rodrigo Neves, por 35,8%.

Leia também...

Qual a sua opinião?

Seu e-mail não será publicado. Os campos com * são obrigatórios.