EM CARAVANA, CTB VISITA OCUPAÇÃO FIDEL CASTRO, SINDTOB E SINDGUARDA-MACAÉ

EM CARAVANA, CTB VISITA OCUPAÇÃO FIDEL CASTRO, SINDTOB E SINDGUARDA-MACAÉ

A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil – Rio de Janeiro fez uma importante agenda pelo interior do Estado. Além de visitar a Ocupação Fidel Castro, em Silva Jardim, os dirigentes cetebistas visitaram importantes Sindicatos na região do Norte Fluminense.

A primeira parada da caravana foi em Silva Jardim, onde em conjunto com representantes da União Brasileira de Mulheres (UBM) e da União da Juventude Socialista (UJS), foi feita uma visita à Ocupação pela Reforma Agrária Fidel Castro. A Ocupação, liderada pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Silva Jardim e pela Federação Estadual dos Trabalhadores da Agricultura Familiar do Rio de Janeiro (FETAGRI-RJ), ocorre desde o dia 30 de dezembro na Fazenda Santa Maria e, de acordo com o Presidente da FETAGRI, Oto dos Santos, é de extrema importância para as famílias de agricultores da região:

“A ocupação da Fazenda Santa Maria é um movimento legítimo pois se trata de uma propriedade que, além de estar improdutiva e sem toda sua documentação, tem como proprietário um grileiro que expulsou daqui diversas famílias, algumas destas, inclusive, participantes dessa ocupação conosco.”

Durante a visita, Oto apresentou um breve relato sobre como foi a construção da ocupação e dos desafios que estão colocados, inclusive com tentativa de reintegração de posse, mas que a luta pelos trabalhadores pelo direito à terra está se dando com muita força. O Presidente da CTB, Ronaldo Leite considerou a visita muit importante e afirmou que:

“Essa ocupação é fruto da luta do STR de Silva Jardim e da Fetagri e, com essa visita, conseguimos fazer um importante debate sobre o papel da CTB na luta pelo direito à Terra. Daqui tiramos algumas ações concretas que servirão para organizar e firmar a luta pelo assentamento e pelo direito à terra, em si”.

16129546_366833867008648_1053239570_o

Luciana Targino, representante da UBM, também saiu bastante satisfeita da visita e classificou a experiência como sendo “maravilhosa”. Ela valorizou, também, o fato de que a advogada que auxilia na ocupação é uma militante da UBM. Nas palavras de Luciana:

“Foi uma experiência maravilhosa porque só conhecíamos ocupações urbanas, ainda não tínhamos visto uma ocupação. Lá encontramos famílias, conversamos com mulheres, vimos a questão das crianças. Foi uma experiência gratificante e queremos voltar lá para poder empoderar e emancipar aquelas mulheres. A terra é mãe, a terra é mulher, a terra é nossa. Trabalhar com a terra, com a agricultura, é nosso então a UBM está pronta para a luta para ajudar na legalização das terras para que possam trabalhar a agricultura familiar.”

A dirigente da União da Juventude Socialista (UJS), Tayná Paolino, também valorizou a visita. Ela citou especialmente a intervenção de um companheiro da ocupação que lembrou que “a agricultura faz a oposição ao agronegócio na medida em que o agronegócio faz a plantação para o negócio e nós temos toda uma cultura de vida que envolve o trabalho com a terra”. Tayná também falou sobre a importância simbólica da visita:

“Visitar uma ocupação num momento político em que secundaristas e universitários ocuparam escolas e universidades para resistir ao Governo Temer é simbólico pois a gente lida com os movimentos que foram a nossa inspiração. Assim como o movimento do campo ocupa o latifúndio improdutivo para resignificar e dizer que ali tem que ter moradia, trabalho para alimentar nosso povo e cultura, a gente também ocupou nossas escolas para resignificar nossas escolas.”

 

Sindicatos de Macaé também receberam a visita da Central nessa quarta-feira

16130042_366833870341981_2113582087_o

Além da visita à ocupação, a CTB-RJ visitou dois importantes sindicatos da região do Norte Fluminense. O SINDTOB e o SINDGUARDA, ambos de Macaé.

Representando a categoria dos trabalhadores e trabalhadoras do OffShore, o SINDTOB recebeu a visita da CTB e promoveu um profundo e importante debate sobre o papel da entidade e da CTB no enraizamento da central no Norte Fluminense.

Em seguida, em visita ao SINDGUARDA, que representa os trabalhadores e trabalhadoras da Guarda Municipal de Macaé, os cetebistas debateram questões relativas à recente greve da categoria (que durou mais de 40 dias) e a luta da entidade pelo reconhecimento por parte do poder público e da luta pelos direitos dos Guardas Municipais do município.

O Presidente Ronaldo Leite, após a visita aos dois sindicatos filiados à CTB, saiu animado com as perspectivas para o próximo congresso da entidade e avaliou ao fim de todas as agendas:

“Hoje foi um dia extremamente produtivo para o enraizamento da CTB e de suas entidades filiadas no Norte Fluminense. Avançamos bastante nos debates sobre nossa interiorização e na construção do nosso Congresso e, também, na questão da solidariedade e da luta ao lado dos trabalhadores da terra.”

Leia também...

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *