Governo tem cinco dias para entregar planejamento de abertura de leitos no Rio de Janeiro

Governo tem cinco dias para entregar planejamento de abertura de leitos no Rio de Janeiro

 Tribunal de Contas da União (TCU) determinou ao Ministério da Saúde que, no prazo de cinco dias, apresente as medidas adotadas em coordenação com as esferas estadual e municipal para a disponibilização de leitos para o tratamento de pacientes de covid-19 nos seis hospitais e três institutos federais do Rio.

Publicado em Diário Oficial, o TCU pede informações sobre leitos operacionais em cada unidade, leito inativos e ações para operacionalizar os leitos inativos, além de medidas adotadas para suprir déficit operacional com demissão de 1.419 profissionais cujos contratos terminam neste domingo (28) e informações sobre reabertura dos leitos perdidos devido ao no incêndio Hospital Federal de Bonsucesso.

Em outra exigência, o ministério terá que informar como foi realizado o processo seletivo simplificado para a contratação de 4.117 profissionais de saúde.

Em um relatório do TCU divulgado no início de fevereiro constava que 770 leitos (clínicos e de UTI) encontravam-se ociosos devido à falta de profissionais de saúde, bem como de equipamentos e insumos. A subutilização dos equipamentos representava 48% dos leitos instalados, que totalizam
1.595.

De acordo com os dados coletados pela fiscalização do TCU, o porcentual de leitos não utilizados por falta de recursos humanos nos hospitais federais varia de 32% a 44%. Nos institutos nacionais, esse porcentual oscila de 5% a 25%. Sendo que esses números são anteriores ao incêndio no hospital federal de Bonsucesso, em 27 de outubro de 2020.

Questionados pelo O DIA, a Superintendência Estadual do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro (SEMS/RJ) esclareceu que a prorrogação por até 60 dias dos contratos temporários de até 1.419 profissionais de saúde foi cumprida “conforme determinado”.
Esclarecemos que o último certame, realizado em 2020, foi para a contratação de 4.117 profissionais de saúde, selecionados para o atendimento nas unidades federais. Desses, mais de 3.300 profissionais já se apresentaram nas unidades, e as providências estão sendo tomadas para que a totalidade desta contratação ocorra com a maior brevidade possível.

LEITOS – Cabe ressaltar que há na rede hospitalar federal no Rio de Janeiro, 78 leitos de enfermaria e 42 de CTI cedidos exclusivamente para pacientes graves com Covid-19. Esta quantidade é acima dos 70 leitos estabelecidos para a unidade de saúde de referência no atendimento a pacientes com Covid-19, o Hospital Federal de Bonsucesso (HFB).

Protesto contra demissões

O Sindicato dos Profissionais da Rede Federal (Sindisprev) fará manifestação na porta do Hospital de Bonsucesso nesta segunda-feira, a partir de 9h, contra a demissão dos 1.419 funcionários neste domingo.

“Em março do ano passado, o governo demitiu 594 dos 4.117 funcionários do quadro de profissionais da rede federal de Saúde. O Ministério Público conseguiu uma liminar, em agosto, obrigando as recontratações e a prorrogação dos contratos, mas eles estão vencendo hoje (domingo). A manifestação que faremos é para que este contrato seja mais uma vez prorrogado, além de exigir uma solução para o caso do Hospital Federal de Bonsucesso. Já são quatro meses que a unidade não funciona plenamente, transferiram profissionais e a gente vê uma possibilidade de fechamento definitivo”, explicou a diretora regional do Sindsprev, Christiane Gerardo.

Fonte: O Dia

Leia também...

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *