Justiça para Moïse: CTB-RJ participa de ato na Barra da Tijuca

Justiça para Moïse: CTB-RJ participa de ato na Barra da Tijuca

Milhares de pessoas tomaram a orla da Barra da Tijuca para exigir justiça para Moïse Kabagambe, jovem trabalhador congolês brutalmente assassinado por exigir receber pelo trabalho exercido no quiosque Tropicália, localizado no posto 8 da referida praia. A CTB Rio de Janeiro tratou o ato como prioridade de sua agenda e mobilizou sua base social para o ato que reunia as lutas contra o racismo, a xenofobia, o trabalho escravo e pela fim do genocídio da população negra em nosso país.

 

Reunidos desde cedo na frente do Quiosque onde Moïse trabalhada, os manifestantes partiram em passeata pela orla do bairro. Entre as palavras de ordem entoadas a exigência de justiça, do fim do racismo estrutural e críticas aos governos Bolsonaro e Claudio Castro. O protesto tomou as duas pistas da Avenida Lúcio Costa, que chegou a ser interditada pela manifestação.

 

“Essa manifestação é a manifestação da revolta. A manifestação de um povo que luta por democracia, por comida, por vacina e acima de tudo por justiça. Num país que o governo federal edita uma medida provisória para legalizar o trabalho escravo, que o mesmo governo permite o retorno ao mapa da fome, que deixa mais de 20 milhões de pessoas sem tem sequer um pão para tomar café da manhã com sua família, é um país que mata muito. Mata muito povo preto, mata muito povo pobre. Estamos aqui para exigir justiça para Moïse, mas também justiça por Marielle, e justiça para todos aqueles e aquelas mortos pela polícia que mais mata e mais morre.”- afirmou Paulo Sérgio Farias, presidente da CTB-RJ, presente ao ato.

 

Moïse Kabagambe trabalhava por comissões nos quiosques do local – no Tropicália e no Biruta, que a prefeitura anunciou que vão virar um memorial à cultura africana e serão administrados pela família da vítima no início da manhã desse sábado. Seu assassinato expõe a violência com a qual trabalhadores negros e imigrantes são tratados em nosso país e a CTB-RJ reafirmou seu compromisso na luta antirracista, contra o trabalho escravo e contra racismo estrutural que permeia todos os segmentos da nossa sociedade.

Leia também...

Qual a sua opinião?

Seu e-mail não será publicado. Os campos com * são obrigatórios.