MPT REALIZA INSPEÇÃO NAS UNIDADES DOS CORREIOS DE SENADOR CAMARÁ E REALENGO

MPT REALIZA INSPEÇÃO NAS UNIDADES DOS CORREIOS DE SENADOR CAMARÁ E REALENGO

Em inspeção judicial realizada nesta sexta-feira, (10), a juíza titular da 1ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, Adriana Rocha Lima, encontrou diversas irregularidades nas unidades de Senador Camará e Realengo. A vistoria que também teve a participação do SINTECT-RJ, representado pelos diretores Fagner Freitas e Neli Rezende, faz parte da ação civil pública movida pelo Ministério Público do Trabalho (MPT), que tem como objetivo investigar a real situação das condições de trabalho dos ecetistas.

Primeira unidade vistoriada do dia. CDD Senador Camará apresentou problemas de climatização, infraestrutura e ambiente de trabalho inadequado. Entre as adversidades apontadas pela equipe do MPT estão: mobiliário não ergonômico, ambiente de trabalho e ponto de atendimento não climatizado, bebedouro sem copos individuais, extintores mal localizados, cantina com fogão, mesas e cadeiras inadequadas, ventiladores sem grade ou quebrados, e estufa que não fecha a porta.

Durante a inspeção a juíza Adriana Rocha Lima, ressaltou que tudo que envolve a saúde no ambiente de trabalho é importante, conforme explica o diretor do SINTECT-RJ, Fagner Lopes, que acompanhou a vistoria:

“A prioridade é climatizar a unidade e reestruturar a parte elétrica. Mas nada impede de realizar pequenos reparos e manutenção, até mesmo para melhorar o aspecto na cantina e no ambiente de trabalho. Os Correios não podem negligenciar os trabalhadores”, afirmou o diretor.

Fagner Lopes completou dizendo que os problemas são antigos e a empresa teve oportunidade de realizar melhorias, e não o fez:

“Existe um acordo de 2014 que a ideia era climatizar todas as unidades. Porém, nada foi feito, e agora estamos aqui com o MPT que está comprovando as denúncias de anos de negligência da empresa com os trabalhadores”, explicou o diretor.

Com um galpão de telhas de amianto e falta de sistemas eficientes de ventilação, a estrutura do CDD Realengo foi condenada assim que a equipe do MPT chegou à unidade.  O local além de não possuir climatização adequada, apresentou inúmeras irregularidades: telhas quebradas, ventiladores sujos, obstrução do local disponível para o extintor, compressor em cima de uma poça d’ água, mobiliário inadequado, veículos dividindo o mesmo espaço que os trabalhadores, falta de sinalização, rede elétrica com fios expostos, e refeitório com fogão e botijão de gás.

O MPT produzirá um relatório referente à inspeção nas unidades. O documento estará disponível para consulta daqui a 30 dias. Mais uma vez o SINTECT-RJ mostrou a força da organização sindical -, e que trabalha incansavelmente para atender as revindicações da categoria. O sindicato vai continuar lutando, mobilizando e pressionando até que a empresa cumpra os direitos trabalhistas e ofereça condições adequadas de trabalho para o ecetista.

A vistoria da unidade de Deodoro teve que ser adiada devido a problemas de segurança pública, e em breve será remarcada. A juíza Adriana Rocha Lima se comprometeu a inspecionar outras unidades ainda no primeiro semestre.

Leia também...

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *