NOTA OFICIAL DA CTB-RJ E DA UNEGRO-RJ: JUSTIÇA PARA IAGO!

NOTA OFICIAL DA CTB-RJ E DA UNEGRO-RJ: JUSTIÇA PARA IAGO!

A CTB Rio de Janeiro, mais uma vez, vem a público manifestar seu repúdio ao assassinado de forma bruta pelo Estado brasileiro de mais um jovem negro. O nome da vítima dessa vez é Iago Macedo, 22 anos, vendedor de balas, morto com um tiro à queima roupa nas bilheteiras das barcas, em Niterói.

Iago era um jovem negro trabalhando para levar o pão de cara dia para sua família, juntando dinheiro para o aniversário de 2 anos de sua filha. Vendia balas na bilheteria das Barcas, na Praça Araribóia, até ser supostamente confundido com um criminoso e ter sua vida ceifada a queima-roupa por um policial à paisana.

Como se não bastasse, as forças de segurança pública, no momento em que a família de Iago chegava ao local, com sua já conhecida truculência e despreparo, transformaram aquele local de dor, a cena do crime, numa verdadeira praça de guerra.

Quantos mais vão ser assassinados por confusões que sempre se baseiam na cor da pele? Até quando vamos tolerar o genocídio da população negra? Até quando o povo preto, pobre e trabalhador vai ser tratado como inimigo pelas forças de segurança pública?

Parem de matar nosso jovens! Parem de matar o povo negro! A CTB-RJ se indigna com mais essa morte, se solidariza com família e amigos, se une a essa luta e cobra dos que promovem a necropolitica, turma da liberação das armas e do “acertar na cabecinha”, pela rotina de assassinatos de pretos, pobres e trabalhadores, que vive o Rio de Janeiro.

Iago foi morto por um policial à paisana mas além da mão de quem puxou o gatilho, também estão sujas de sangue as mãos de quem segura a caneta.

Estão sujas de sangue as mãos do Presidente Genocida Jair Bolsonaro, que incentiva diariamente a violência, age em prol da liberação das armas e reforça a todo momento as estruturas mais Racistas de nossa sociedade.

E também estão sujas de sangue as mãos do Governador Claudio Castro, eleito na onda do “atirar na cabecinha”, que promove uma política de segurança pública que incentiva o ódio, tratando o povo preto e da favela como inimigo, numa lógica que, longe de melhorar a segurança, apenas mata, cada vez mais, gente preta e pobre.

É urgente derrotar essas políticas! Estamos na luta pelo fim do genocídio do povo negro! Pela fim do Racismo Estrutural que envenena nossa sociedade e mata nossos jovens! Na luta por justiça para Iago, Durval, Moïse e tantas vítimas dessa lógica racista que impera em nossa sociedade.

Rio de Janeiro, 14 de Fevereiro de 2022

Paulo Sérgio Farias
Presidente da CTB- RJ

Claudia Vitalino
UNEGRO-RJ

Raimunda Leone
Secretaria Geral da CTB-RJ

Leia também...

Qual a sua opinião?

Seu e-mail não será publicado. Os campos com * são obrigatórios.