Oposição Eletricitária denuncia manobras antidemocráticas de diretoria do SINTERGIA

Oposição Eletricitária denuncia manobras antidemocráticas de diretoria do SINTERGIA

Após 15 anos de falcatruas nos acordos , demissões das lideranças e fraudes nas eleições do Sintergia-RJ, a Oposição Eletricitaria, que estava se organizando para ter democracia na disputa eleitoral do SINTERGIA, foi informada que a diretoria do Sindicato foi ao tribunal e obteve uma liminar para suspender a Assembleia da Comissão Eleitoral a pretexto de preservar um estatuto que já foi reconhecido pelo Ministério Público do Trabalho e a 65ª Vara da Justiça do Trabalho como antidemocrático. Pelo estatuto, feito exatamente para manter no poder uma diretoria inapta e incapaz de obter o respeito e a credibilidade da base da categoria, a atual direção se mantém no poder enquanto o processo estiver sendo questionado judicialmente.

O episódio, grave por si mesmo, se torna ainda mais absurdo quando ocorre após uma audiência de conciliação onde todas as partes concordaram com os termos para acontecer um processo eleitoral justo. Ou seja, a atual diretoria do SINTERGIA, na frente dos mediadores promove um acordo com o aval do judiciário, e, manobra pelas costas de opositores e dos próprios mediadores, para burlar regras e operar para se manter no comando do Sindicato.

A Oposição Eletricitária no entanto não se abalou com a nova manobra da direção golpista. Mesmo com o cancelamento da assembleia, já existem movimentações para garantir que uma nova assembleia seja marcada e que os trabalhadores e trabalhadores possam ter o direito de eleger uma comissão eleitoral democrática, representativa e que garanta a lisura do processo. Essa Comissão surgida da base da categoria vai definir a data da nova eleição com toda transparência e retidão.

Processo eleitroal marcado por manobras indecentes de grupo que insiste em se manter no poder a qualquer custo

Não é de hoje que os problemas se multiplicam no processo eleitoral do SINTERGIA. Após, por decisão judicial, a direção pelega ter sido obrigada a divulgar a lista de sócios, membros da oposição encontraram uma série de vícios que poderiam comprometer o processo eleitoral.

Chamou atenção, na lista ofertada pelo Sindicato, que apenas 13 empresas constam do quadro de sócios, enquanto o site do Sindicato aponta 39 empresas, sendo 30 do Setor Elétrico, que são representadas pela entidade. Será que nestas outras 26 empresas a entidade não tem sequer um associado? Constatou-se também que, em todas as listas das empresas, os candidatos da Oposição não constam como sócios enquanto só na lista entre os aposentados remidos a Oposição achou mais de 115 colegas já falecidos.

A oposição denuncia 15 anos de manobras antidemocráticas da diretoria que se perpetua à frente do Sindicato. Ao que tudo indica, no entanto, dessa vez, mesmo com as manobras escusas, a má-fé de uma diretoria que se perpetua de forma ilegítima no poder irá chegar ao fim. E todo movimento sindical sairá ganhando com isso.

Leia também...

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *