SERVIDORES FAZEM NOVO ATO CONTRA PACOTES DO GOVERNO DO ESTADO

SERVIDORES FAZEM NOVO ATO CONTRA PACOTES DO GOVERNO DO ESTADO

Mais uma vez, nesta terça (22), milhares de servidores públicos estaduais tomaram as ruas do centro do Rio de Janeiro para protestar contra o pacote de maldades do governador Pezão. O pacote, que retira direitos e reduz salários de servidores e aposentados com aumento de contribuições que chegam até a 30% dos vencimentos, está em processo de debate e votações na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

A CTB-RJ está presente na atividade, que é coordenada pelo MUSPE – Movimento Unificado dos Servidores Públicos Estaduais. Os Representantes de categorias integrantes do MUSPE foram recebidos na Alerj nesta manhã e apresentaram uma carta na qual rechaçam os 22 itens do pacote de medidas proposto pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB). Caso as discussões prossigam e os itens sejam votados, existe a possibilidade de convocação de uma greve geral no dia 7 de dezembro.

O Presidente do Sintisama-RJ, Humberto Lemos, avaliou muito positivamente o ato. Nas palavras de Humberto:

“O MUSPE hoje entregou 16 propostas que resolvem o problema do Estado sem ferir a classe trabalhadora. Porque esse pacote de maldade apenas vai taxar quem tem salário menor, acabar com programas sociais, sem mexer com as eleites. Nós temos que estar junto com o MUSPE. Trabalhar a nossa agenda e estar com o MUSPE pois o trabalhador tem que estar unido. Hoje, conquistamos uma vitória com a retirada da pauta, e estaremos aqui amanhã, e depois de amanhã e sempre que for necessário”

Humberto também criticou as políticas do governo do Estado e defendeu o reestabeelcimento da democracia:

“A Cedae é uma empresa superavitária. Uma empresa que hoje dá dividendos pro Estado e hoje faz a maior obra de Saneamento do Brasil. Nada justifica essa entrega. Eles, os Golpistas, querem entregar. Quem deu golpe no governo eleito, agora está cobrando a fatura. Querem a Petrobrás, querem Furnas e querem a CEDAE. Só que nós estamos aí, resistindo. A solução não é entregar nossas empresas, é tirar eles do poder e fazer um regime democrático pro povo brasileiro, e em especial por povo carioca que vive uma situação muito complicada de governabilidade. Vamos em frente que a luta é eterna, é a luta do Capital contra o Trabalho.”

Confira abaixo, na íntegra, o documento apresentado pelo MUSPE.

whatsapp-image-2016-11-22-at-12-15-00

whatsapp-image-2016-11-22-at-12-15-01

 

Leia também...

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *